quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Movida pela arte

FORMAÇÃO

Perla Cordeiro arrancou risadas e aplausos na oficina de contação de histórias
por Josy Antunes

Segunda-feira, 4 de agosto, primeiro dia da formação dos mediadores do Bairro-Escola, no auditório do Escola Municipal Monteiro Lobato. O grupo “Te conto umas...” entra em cena às 11h, logo depois da oficina do secretário de Cultura e Turismo, o escritor e cineasta Marcus Vinícius Faustini. O trabalho do grupo se estende até o fim da tarde, com uma breve pausa para o almoço.

É na volta do almoço que alguns mediadores começam a colocar em prática a dinâmica proposta pelo “Te conto umas...” Essa dinâmica consistia em separar os cerca de 50 mediadores presentes em grupos de três, posicionados no centro da grande roda formada pelos companheiros. Esses trios, divididos em um narrador e dois personagens, contavam a história contida nas folhas que haviam acabado de receber.

Dentre os mais extrovertidos ou tímidos, houve uma interpretação digna de destaque: a de Perla Cordeiro, que arrancou risadas e aplausos de todos com suas entoações, coreografias e expressões. Aos 25 anos, a moça se mostrou bastante empolgada com o resultado da performance e com o que fora aprendido durante o dia. "Foi muito divertido", exclama.

Nem tudo foram flores, no entanto. "Foi um pouco confuso porque tem que obedecer os comandos enquanto lê e interpreta o texto". Os referidos comandos vinham inseridos no texto para auxiliar na execução da contação. No entanto, não eram constantes, o que gerava espaço para improvisos, muito bem usados por Perla. O improviso também foi exigido na união do trio que se apresentava. "Eles são mediadores novos. Eu não os conhecia", diz ela, frequentadora das formações há um ano e seis meses.

Para entrosar os participantes, o "Te conto umas..." divertia, ensinava, e aconselhava sobre as aplicações da contação de histórias nas oficinas do Bairro-Escola. "Eu gosto de interpretar história infantil, que é também uma experiência com dança. Gosto de ir contando e dançando", explica a mediadora sobre seu jeito especial de narração, alegando ainda que as aulas de dança que frequenta são uma grande influência.

Perla foi transferida há pouco para a Escola Municipal Professora Dulce R. de Moura, em Jardim Nova Era, onde, no final do primeiro semestre, organizou duas oficinas de brincadeiras populares. "As crianças estão começando a pegar o ritmo das oficinas", afirma a moça, explicando que a escola ainda se encontra na busca por parceiros. "Por isso, ainda estou trabalhando dentro do horário regular".

A mediadora e dançarina considera que, para exercer bem sua função no Bairro-Escola, é necessário um quesito muito importante: estar sempre com a mente aberta, para estar em constante experimentação. "Já experimentei vários tipos de formação, em cada época é uma novidade", alega, complementando com alegria: "Eu gosto de mexer com arte, isso me move".




Interatividade:
Que talento você acrescentaria ao contar uma história?

Nenhum comentário:

Postar um comentário