sábado, 29 de agosto de 2009

Imagens educativas

HOJE NO II IGUACINE

Oficina na ELC ensina os professores a verem os meios de comunicação como fontes de aprendizagem
por Mayara Freire

O Iguacine não se baseou somente em filmes. Durante a manhã, na Escola Livre de Cinema, em Miguel Couto, aconteceu a "Oficina de Imagens", comandada por Bernardo Brant. Direcionada para professores das escolas municipais de Nova Iguaçu, foi discutido de forma interativa as possibilidades de renovação da comunicação entre educadores e alunos através de análise de mídias como rádio, TV, jornal e filmes. “A oficina nos mostrou novas possibilidades de discussões em sala de aula. Também foi abordado a importância da formação de cidadãos críticos em relação aos meios de comunicação”, contou Renata Felício, professora de incentivo a cultura e leitura, da escola municipal Professor Osires Neves, localizada na Estrada Iguaçu.

“Achei muito interessante a oficina. Percebi que muitas vezes o professor se prende ao texto escrito. Mas a comunicação de fato, acontece a todo instante. Temos diversas maneiras de poder ensinar os alunos, trabalhando com materiais variados. Não devemos ficar somente ligado a textos impressos e didáticos. Portanto, temos alternativas de poder utilizar imagens, músicas, propaganda e filmes”, ressaltou A professora Darlene Almeida, da escola Janir Clementino Pereira, de Miguel Couto.

Foi levantado muitos assuntos nas oficinas. Uma delas foi o questionamento da veracidade da gripe suína e até que ponto a imprensa é positiva ou negativa, além da reflexão sobre quais interesses ela atende. Os professores se impressionaram com o vídeo de uma entrevista com a banda Mundo Livre S/A que falavam sobre a defesa dos índios do Recife. Primeiramente ele foi exibido editado, que transmitia que eles eram contra os nativos. “Foi muito curioso depois, quando vimos o vídeo na íntegra, sem alterações. Realmente vemos que é possível deturpar qualquer tipo de informação”, disse a Maria Aparecida Rodrigues, professora de literatura, que trabalha em escola do bairro Jardim Nova Era. “Devemos ensinar aos alunos esses conceitos. A mídia pode efetivamente manipular e formar a opinião pública. Também é nosso papel conscientizar os alunos para terem uma opinião crítica”, completou a professora.

Ao final, duas atividades associadas com o tema central, entreteram todas os participantes da oficina. Foi feito uma experiência sensorial, em que pessoas formadas em duplas, tinham que observar atentamente um ao outro de uma certa distancia. Segundo Bernardo Brant, isso serve para eles perceberem que cada um vê com perspectivas diferentes. “Foi curioso. Uns prestaram mais atenção na imagem objetiva e outras na subjetiva, ou seja, no fisico e no que as pessoas aparentavam ser psicologicamente. Já alguns perceberam a sua imagem na retina do outro, além se focarem na movimentação da pupila, observou. Já na outra atividade, os professores construíram objetos óticos, usando papelão, papel e cola. Quando tudo estava pronto, eles saíram pelas ruas e se divertiram observando imagens através do novo instrumento.

Interatividade:
Cite um filme que você viu e que tenha aprendido algo importante?

Um comentário:

  1. Com toda certeza o filme "Brilho eterno de uma mente sem lembranças",descortinou-me a essência da vida,em sua maior plenitude.
    Só...
    ¬¬'

    Wanderson

    ResponderExcluir