quarta-feira, 19 de agosto de 2009

União nos games

O IGUACINE VEM AÍ

Jogadores formam redes sociais em jogos eletrônicos para fortalecer laços de amizade e se tornarem mais fortes
por Wanderson Duque

Não é de hoje que o ser humano procura novas formas de se divertir e interagir com os seus iguais. O grande feito da nova geração de jogos eletrônicos é justamente unir estes dois fatores nos chamados jogos on-line. Não é à toa que é cada vez maior o número dos chamados clans, também conhecidos como guildas. Eles reúnem grupos por afinidades.

Um dos jogos on-line mais populares é o FPS, um game de tiro que, embora seja disputado na primeira pessoa, a maioria das casas separa os jogadores em grupos durante as partidas. Criar um clã com amigos ou colegas significa se especializar. Desta forma, os membros tendem a se conhecer melhor e a explorar as vantagens de um grupo que se conhece bem.

Já as guildas são os grupos que os jogadores formam nos MMORPGs, RPG com muitos jogadores através da internet. Jogos deste gênero trazem inúmeras vantagens aos jogadores que se unem com um objetivo comum. Combinar personagens de diversas classes e habilidades diferentes é sempre a melhor proposta para um grupo.

“A união nos jogos de RPG faz uma diferença horrenda. A porcentagem de sucesso na empreitada de algum jogador é muito maior quando ele está em grupo do que se estivesse sozinho", conta Paula Fernanda, 17, jogadora de Raganarok Online, jogo famoso por sua interatividade.

Na verdade, tanto as guildas quanto os clãs estão mais para a união estável do que para o grupo temporário. Um grupo efêmero criado para uma única partida é denominado party, ou festa em português. Os laços criados tendem a se solidificar com o crescimento do grupo, assim como seus objetivos e ambições. Na prática, os termos clã e guilda se tornaram sinônimos entre os jogadores e ambos são usados em games on-line de todos os gêneros.

“Às vezes ocorre certa rivalidade entre as guildas, mas até que é divertido”, diz com entusiasmo Lucas Neto, 16. “Marcamos combate on-line e é uma bagunça gigantesca!”,

Jogadores casuais tendem a não se dar bem em guildas e clãs importantes, pois eles cobram e exigem dedicação de seus membros. Em troca das vantagens de contar com uma grande equipe de apoio, o membro deve se comprometer a seguir os objetivos do grupo e a evoluir para ajudá-lo a crescer.

Tanto empenho pode gerar frutos na vida real. Um clã pode vir a se tornar profissional e ganhar dinheiro de verdade. No caso de um FPS, um grupo profissional enfrenta outros clãs do mundo inteiro a fim de recrutar os melhores para um torneio, por exemplo. Em MMOs, é comum encontrar guildas de moderadores, jogadores que se destacam e são convocados para cooperar na organização do game. É claro que os jogadores que ganham a vida desta forma precisam dedicar várias horas do seu dia nesta profissão.

“Por muitas vezes esse relacionamento clã-jogador se torna exaustivo. Exige dos jogadores muito tempo, mas como tudo tem prós e contras, esse é só um detalhe como qualquer outro”, afirma Douglas Silva, 19. “Para um jogador casual, eu recomendo jogar só, já que os outros jogadores não farão nenhuma”.

Interatividade:
Conte uma história de amizade que tenha se consolidado nos jogos on-line.

Nenhum comentário:

Postar um comentário