sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Um presente com direito a fita vermelha

OLHA O II IGUACINE AÍ, GENTE

Iguacine inaugura a biblioteca Cacá Diegues, na Escola Livre de Cinema, em Miguel Couto
por Robert tavares / fotos: Mazé Mixo


O 2º Festival de Cinema de Nova Iguaçu começou com o pé direito, cheio de surpresas e coisas boas para toda a população da cidade. Nesta quinta-feira, a Escola Livre de Cinema, no bairro Miguel Couto, recebeu um ilustre convidado: o fabuloso cineasta Cacá Diegues. Sua vinda para a Baixada tem um ótimo motivo, pois a ELC inaugurou uma biblioteca em sua homenagem. Participaram da solenidade de entrega da biblioteca, o prefeito Lindberg Farias, o cineasta Cacá Diegues, o secretário municipal de Cultura, e também cineasta Marcos Vinícius Faustini, a coordenadora do Bairro-Escola Maria Antonia Goulart, além dos alunos da rede municipal que participam das aulas de cinema.

Mais de mil peças, entre sinopses de filmes, fotos, catálogos e roteiros - como “Xica da Silva”, “O maior amor do mundo”, “Os herdeiros”, “A grande cidade”, “Bye bye Brasil” -, principalmente dos anos 70, fazem parte do acervo doado pela FUNARTE(Fundação Nacional de Artes) à biblioteca. Esse material poderá ser consultado gratuitamente pelos amantes da sétima arte e por moradores não só de Nova Iguaçu, mas de todo o Estado. "Espero que o espaço seja muito visitado. Doei meus roteiros e pude ver que a biblioteca tem livros ótimos", recomendou Cacá Diegues.

A Biblioteca Cacá Diegues será o primeiro centro de referência e pesquisa cinematográfica e teatral da região. "Escolhemos o Cacá Diegues para homenagear porque ele conhece nosso trabalho e por toda a sua representação no cinema"brasileiro", diz Cristiane Braz, diretora da ELC. "É uma homenagem não só pelo grande cineasta que o Cacá Diegues é, mas também pelo movimento que ele tem feito com meninos da periferia, dando espaço para grupos que não são conhecidos. A escolha dele foi unânime entre todos", complementa Faustini.

A biblioteca também contou com doações feitas pelo CENART, que é uma instituição de desenvolvimento e criação. "O meu avô, que era o fundador do espaço, queria educar o povo. Quando eu soube da biblioteca, pensei na hora em doar os livros que estavam lá parados", diz Isabel Ferreira, neta de Hauler da Silva Ferreira, fundador da instituição.

As crianças, alunas da Escolas Municipais Ana Maria Ramalho e Janir Clementino, matriculadas na ELC, através da integralidad do Bairro-Escola, se mostraram bastante eufóricas e interessadas com o novo “point”. Prova disso foi o corre-corre causado por elas quando o prefeito Lindberg Farias e Cacá Diegues cortaram a fita representativa e liberaram a entrada delas na biblioteca. Mas, essa euforia e excitação não eram particulares às crianças, os responsáveis também se aglomeravam dentro e fora da ELC. “Estou muito ansiosa, nunca tinha visto nada desse tipo aqui em Miguel Couto”, diz Regina Lopes, mãe do aluno Erick Borges, de 6 anos, que agora será incluído no horário integral. Entre as mães, a opinião é unânime: “Essa biblioteca vai nos ajudar muito. Vai ser um sucesso”, disse Leonora da Silva Brandão, mãe de Samanta da Silva, uma leitura assídua, de apenas 10 anos, que se mostrava maravilhada com o acontecimento.

Para Cristiane Braz, não é só uma biblioteca, é um acervo do audiovisual. Pois, além dos livros doados, eles contam com todos os vídeos inscritos no Iguacine 2008, tanto os selecionados, quanto os que ficaram de fora. A ELC também conta com filmes dirigidos por Glauber Rocha e com episódios do Programa Brasil.

O cinema se faz diariamente, um dia após o outro. “Fazer essa biblioteca é um grande acerto, ler é tão importante quanto assistir filme. Esse é só o começo de um grande futuro”, diz o Secretário Municipal de Cultura, Faustini.


Interatividade:
Qual livro você gostaria encontrar na biblioteca?

Nenhum comentário:

Postar um comentário