segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Sexo barato

O IGUACINE VEM AÍ

Filmes pornôs fazem sucesso nas bancas do Calçadão de Nova Iguaçu
por Larissa Leotério

Na frente, os jogos de última geração. Ao lado, filmes que ainda estão nas telas dos cinemas. Só quando passamos por trás da banca é que percebemos a quantidade e a variedade dos filmes destinados à diversão adulta nas bancas do Shopping A Céu Aberto do Centro de Nova Iguaçu, o famoso Camelódromo.

“Pornô é o carro-chefe de qualquer banca aqui”, conta Juliano dos Santos, 27 anos. O maior consumidor desse tipo de filme é de pessoas adultas, que passam muito tempo escolhendo o título que vai levar para casa. Alguns mexem em todos, quase revirando a banca pelo avesso. Essa naturalidade da clientela com o produto facilita o trabalho do vendedor, que se sente à vontade para indicar filmes que no seu entender atenda às preferências do freguês. Essas indicações são aceitas com gosto inclusive pelos fregueses que ficam “no cantinho” quando outros clientes se aproximam da banca.

Os adolescentes não são maioria, mas são uma clientela expressiva dos filmes pornôs. Mas estes “vêm, compram e saem fora”, revela o vendedor da banca ao lado, que pede para não se identificar. Segundo Juliano, as mulheres têm um comportamento semelhante ao dos adolescentes. Algumas até vêm “na cara-de-pau”, como ele diz. Mas a maioria fica esperando de longe, enquanto o companheiro faz a compra às pressas.

Mesmo comercializando mercadorias consideradas por muitos como imorais, eles contam que nunca tiveram problemas com ninguém. Nem com grupos mais conservadores, como o dos evangélicos, que procuram essas mesmas bancas para comprar DVDs de filmes e shows evangélicos. “Shows são o que mais vende”, conta Juliano, que tem na ponta da língua os títulos mais vendidos: “Damaris”, “Trazendo a Arca” e “Toque do Altar”. Com os filmes, não é diferente: “Desafiando Gigantes”, “A Virada” e “Prova de Fogo”.

O público homossexual também procura filmes pornôs nas bancas do Calçadão. “Eles compram muito também”, revela o vizinho da banca de Juliano. “Às vezes, cinquenta, sessenta reais.” Os preços praticados no Calçadão, onde três DVDs são vendidos por R$ 10,00, atraem uma clientela homossexual de diversos lugares. “Alguns vêm de outras cidades, outros estados e dizem que comprar em Nova Iguaçu é mais barato que na cidade deles.”, conta Juliano.

Interatividade:
Conte a história de algum filme que você tenha comprado no camelô.

Nenhum comentário:

Postar um comentário