quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Nunca antes na história de Cabuçu

LULA AQUI

Presidente Luis Inácio Lula da Silva inaugura obras do PAC em Nova Iguaçu e marca a história dos Bairros Cabuçu e Laranjeiras
por Edson Borges Vicente e Fernanda Bastos da Silva

Pela primeira vez na história, Cabuçu é contemplado com as presenças ilustres e concomitantes de um presidente da República, um ministro, um governador do Estado e prefeitos de quase todas as cidades da Baixada Fluminense, a começar por Nova Iguaçu. Nossa excelência Luiz Inácio Lula da Silva reuniu políticos de todos escalões para inaugurar as obras já concluídas do Saneamento Integrado em Cabuçu e Jardim Laranjeiras e discutir a implantação de infraestrutura em comunidades carentes através do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC. O evento, iniciado às 14h de ontem, teve como palco o Ciep Ilda Silveira Rodrigues, mais conhecido como 168. Cerca de 10 mil pessoas que lotaram o pátio da escola.

Coube ao líder comunitário José Avelino, que falou sobre o processo de luta pela urbanização da periferia de Nova Iguaçu, abrir a cerimônia. Em seguida, o prefeito Lindberg Farias detalhou um pouco mais essa luta e complementou citando conquistas e projetos realizados na cidade de Nova Iguaçu, como os Pontinhos de Cultura e o Bairro-Escola, além de apresentar a galera do Brasil Alfabetizado e as mães voluntárias do Bairro-Escola. O ministro Márcio Fortes apresentou o orçamento das obras de toda a Baixada Fluminense, destacando outros bairros da região que ainda serão beneficiados, como Três Marias, Ipiranga e Parque Imperial e de obras como a do bairro 12 de Outubro, que já estão em fase de conclusão do asfaltamento.

O ministro Marcio Fortes já havia visitado a cidade em janeiro deste ano, durante o aniversário de 176 anos da cidade, para inaugurar o primeiro conjunto de obras do PAC - a urbanização de favelas em Nova Iguaçu. Através deste programa, os investimentos no município somam R$ 361,3 milhões, dos quais R$ 136,7 milhões são provenientes do Orçamento Geral da União, R$ 190 milhões vêm de financiamentos federais e R$ 34,6 milhões são custeados pela prefeitura sob uma ação conjunta que tem como lema: “Parceria do Governo Federal com o município de Nova Iguaçu. Uma vida melhor para mais brasileiros”, slogan que estampava o banner ilustrativo do fundo do palanque da cerimônia. Em toda a Baixada Fluminense, segundo o ministro, R$1,24 bilhões foram investidos.

Cidadão iguaçuano
O governador Sérgio Cabral ressaltou a modernização e a climatização de trens urbanos do Estado, nos Ramais Japeri, Santa Cruz, Belford Roxo e Saracuruna. Ele também falou sobre a aceitação do Programa Universidade Para Todos - Prouni e a inclusão de alunos da rede pública e negros nas universidades privadas. Antes de se pronunciar, o presidente Lula recebeu das mãos de Marcos Serrano, o presidente da câmara municipal e do vereador Ferreirinha, a Medalha Comendador Soares e Título de Cidadão Iguaçuano.

Lula ressaltou os recentes investimentos na área social, que permitiram que o Brasil enfrentasse a crise mundial com galhardia e, acima de tudo, garantiram a criação de 138 mil empregos formais no Brasil no último mês. “Temos menos desemprego que os Estados Unidos e a Europa", orgulhou-se. O presidente também destacou a queda na taxa de juros, "a menor na história do Brasil". "Nós estamos tão chiques que, quando tomei posse, a gente devia US$ 30 bilhões ao FMI e hoje o FMI nos deve US$ 10 bilhões. Pudemos fazer isso porque temos US$ 213 bilhões de reserva”.

O presidente afirmou que hoje o Brasil é respeitado pelas grandes potências mundiais. “Há pouco tempo, a gente era tratado como se fosse homens e mulheres de baixa categoria”, disse. A importância da descoberta de petróleo na camada pré-sal também foi analisada por Lula. “Vamos gerar um fundo para melhorar a vida dos pobres nesse país, fazendo um grande investimento em educação", garantiu Lula.

País de ponta
Os investimentos do seu governo em ciência e tecnologia podem não apenas romper o ciclo de exportações de matéria prima, como o minério de ferro, o café e o suco de laranja. Segundo o presidente, isso não está longe de acontecer. “Nos já começamos a mexer a seis mil metros de profundidade para retirar petróleo”, exemplificou ele, que acredita que o petróleo do pré-sal tornará o Brasil um país de ponta num horizonte de 15 anos.

Mas esse futuro auspicioso depende muito menos do ouro negro do que dos investimentos em educação superior feitos pelo seu governo, que garantiram, por intermédio do Prouni, a entrada de 545 mil jovens nas universidades privadas do país. "Quaranta e cinco por cento desse total são negros das periferias", comemorou. Já o Reuni elevou de 103 mil para 227 mil a taxa renovação anual das universidades federais, o que aumentou de 12 para 18 o número de alunos por professor na sala de aula na universidade. A criação de uma universidade latino-americana e outra afro-brasileira também faz parte desse esforço para capacitar o país para um futuro melhor.

Emocionado, o presidente da República lembrou a sua trajetória pessoal para destacar a importância de alguns programas socioeducativos da administração Lindberg, como a presença de mães educadoras nas escolas municipais. "Eu sei dos problemas de todos porque eu não tive a oportunidade de fazer uma universidade. Aos 13 anos tive que trabalhar pra levar o pão de cada dia pra dentro de casa. E sei como as mães têm vontade de ver que seus filhos estudam. Eu sei o que é um menino com uma profissão." Lula acredita que as oportunidades criadas pelo Bairro-Escola também podem mudar a relação entre homem e mulher. "A mulher precisa de independência. A mulher não pode viver com o marido porque depende do salário dele. Ela tem que viver com o marido por que gosta dele. Mas ela tem que ter o seu salário, tem que se formar."

Interatividade:
Você já participou de algum marco histórico em seu bairro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário