sábado, 29 de agosto de 2009

Espinho não machuca Guilherme de Brito

HOJE NO II IGUACINE

Filme de André Sampaio mostra vida e obra do poeta do samba
por Marcelo Santos

Em 1922, nascia no bairro de Vila Isabel, Rio de Janeiro, um dos maiores compositores da história da música popular brasileira: Guilherme de Brito o “poeta do Samba”. Suas canções foram interpretadas por diversos artistas consagrados como, por exemplo, Elis Regina, Elza Soares, Beth Carvalho e Alcione, entre outros importantes nomes da música popular brasileira.

O cineasta carioca André Sampaio, de 34 anos, dirigiu um filme que registra a trajetória de um dos maiores compositor da historia do samba. Embora o projeto seja um documento importante na historia da música e cultura brasileira, a sua concretização passou por enormes impasses e quase não veio a público por falta de apoio e incentivo financeiros das instituições públicas e privadas.
O impasse só foi solucionado quando o produtor Hernani Heffner, de 45 anos, um dos produtores do Cine Música da cidade de Conservatória, resolveu ajudar na finalização do projeto, conta Sampaio. “O homem que mais sabe de cinema resolveu produzir a finalização do curta para abrir o festival do ano passado. Eu tinha filmado o Guilherme em Conservatória, onde ele era uma verdadeira entidade, tendo feito inclusive o Hino da Cidade”.

Além de despontar como mais um documento na história da musica popular brasileira, o filme “Guilherme de Brito” tem o objetivo de nos mostrar a maior herança deixada pelo poeta. “Não existe uma herança maior ou menor, existe o ser que marca e aponta caminhos em sua passagem na Terra. As marcas e caminhos apontados, indicados, alinhavados por Guilherme são incontáveis e sempre vão estar por aí, de presente para os mais atentos”, afirma Sampaio.

Sampaio relata que Guilherme de Brito atravessou a vida enfrentando alegrias e tristezas com a mesma disposição, nunca deixando se abalar pelas incertezas apresentadas nos caminhos. “A vida é barra e os caminhos são de flores e espinhos. A lei do planeta Terra é a lei da dualidade e a harmonia está na amistosa conversa entre os opostos. A flor tem espinhos, mas os espinhos não machucam a flor e isso é uma síntese extraordinária e serve para tudo”. E completa o diretor, enaltecendo que a vida do compositor e sua obra não se distinguem. Ao contrário, se completam. “O Guilherme era um guerreiro, o tipo do artista que vai fazendo seu trabalho sem reclamações, seu trabalho é sua vida, são coisas inseparáveis, sem limites. No final existe uma obra e isso é o que importa”.

Contudo é importante ressaltar que a obra do artista Guilherme de Brito não se restringe a composições. Ela vai além, entrando no mundo das artes plásticas e esculturas.
O traço em comum que relaciona as manifestações artísticas de Guilherme de Brito é “o registro pictórico de cenas do universo do samba e a certeza da morte, o ser humano, como prisioneiro das implacáveis garras do tempo, temas mais do que recorrentes nos sambas e presentes também nas pinturas, penso eu, no fascínio por pintar São Francisco de Assis.”

Para todos aqueles que desejam conhecer e se deliciar ainda mais com a fascinante história e filosofia de vida e obra desse importante e influente personagem da música popular brasileira, fica o convite: será exibido neste sábado, no Espaço Cultural Sylvio Monteiro, o filme Guilherme de Brito, dirigido por André Sampaio. Divirta-se e emocione-se.

Interatividade:
Qual é a música de Guilherme de Brito de que você mais gosta?

Um comentário:

  1. parabens pelo blog...
    Na musica country VIRGINIA DE MAURO a LULLY de BETO CARRERO vem fazendo o maior sucesso com seu CD MUNDO ENCANTADO em homenagem ao Parque Temático em PENHA/SC. Asssistam no YOUTUBE sessão TRAPINHASTUBE, musicas como: CAVALEIRO DA VITÓRIA, MEU PADRINHO BETO CARRERO, ENTRE OUTRAS...
    é o sonho eterno de BETO CARRERO e a mão de DEUS.

    ResponderExcluir