domingo, 30 de agosto de 2009

Animador desanimado


A VELHA E NOVA HISTÓRIA

Curta promove reflexão sobre relacionamentos
por Wanderson Duke Ramalho

O novo curta de Allan Sieber , “Animadores”, traz as obsessões típicas do diretor com o universo subversivo dos outsiders. O curta narra, de uma forma simples a vida do personagem principal, num emprego intragável (animador de festas infantis), caindo de amores pela colega de trabalho loirinha, que nunca vai perceber o quanto é sedutora.

Todos os clichês de um gênero a que estamos acostumados desde a infância, com as Sessões da Tarde, podem ser vistos no filme de Allan Sieber. Mas aqui a coisa é um pouco diferente. As referências do underground e da contracultura deixam o bom mocismo de lado e atraem a atenção de um público mais maldoso, tanto quanto o autor.

Não é por acaso que toda a animação se dá quase sem diálogos, entrecortada somente pela distorção nervosa da guitarra de Edu K.. O que aliás, faz muito bem, pontuando ininterruptamente todas as situações da tensão ao tédio, chegando até a euforia.O único senão nesta postura cínica e desleixada, típica não só dos trabalhos de Allan Sieber, mas de toda um conglomerado de cineastas(que já deixa marcas e inúmeros seguidores) é que, ao desacreditarem no "sistema" nada mais resta, a não ser o deboche autodepreciativo e o mais puro desprezo pelo que resta a sua volta.

De forma resumida:
Um curta excelente, aclamado, de uma originalidade singular e muito bem construído. “O curta é ótimo! Um dos melhores a que já assisti”, diz Camila Souza.



Interatividade:
O que mais lhe atrai em um curta-metragem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário