quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Chegou a hora!

OLHA O II IGUACINE AÍ, GENTE

Filme sobre o Presidente Lula abre o II Iguacine hoje à noite
por Lucas Lima

Começa hoje, e vai até domingo, o II Iguacine. Os eventos acontecerão na Escola Livre de Cinema, em Miguel Couto, e na Casa de Cultura Sylvio Monteiro, no Centro. A abertura será na manhã desta quinta-feira, às 11 horas, na Escola Livre de Cinema, com a inauguração da biblioteca Cacá Diegues, um dos cineastas mais importantes da história do cinema brasileiro. A biblioteca reunirá um amplo acervo de obras do cinema brasileiro, doado pela Funarte (Fundação Nacional de Arte).

"Mais do que um evento, o II Iguacine é um gesto político", afirma seu idealizador, o secretário municipal de Cultura e Turismo Marcus Vinícius Faustini. Há várias razões para que o secretário faça tal afirmação, a começar pelo fato de a Baixada Fluminense estar recebendo produções de quase todos os estados do país. Porém, mais importante do que a inscrição de 270 títulos nacionais, é o fato de ele estar sendo produzido pela Escola Livre de Cinema. "Esse festival mostra que a Baixada, é um lugar de se treinar e criar o olhar, capaz de criar cultura também", afirma o secretário. "Prova disso é que os próprios alunos da escola de cinema entraram no festival".

Há diversas novidades na nova edição do Iguacine, dentre as quais a que o secretário mais comemora é a parceria com o Itaú Cultural, uma das mais importantes instituições de apoio à cultura do país. "O Itaú Cultural nunca havia atuado efetivamente no Rio de Janeiro", orgulha-se Faustini. A estrutura deste anos será mais enxuta do que a do ano passado, sem a mostra competitiva da Baixada e a exibição de filmes nos bairros., por exemplo. "Esse ano a gente vai concentrar a mostra no Sylvio Monteiro e na Escola de Cinema".

A repercussão da primeira edição do festival foi um passaporte para que seus organizadores fossem recebidos pelo clã dos Barreto, donos de uma das mais importantes produtoras de cinema do país. "Vamos abrir o festival com um corte de 10 minutos do filme Lula, o filho do Brasil, de Fábio Barreto", comemora o idealizador do evento. "O longa só vai estrear no próximo ano". Na mesma noite, será exibido, no mesmo teatro do Sylvio Monteiro, o longa-metragem de Vinícius Reis Praça Sans Pena, que também não chegou ao circuito comercial.

A programação da noite inaugural também contará com a exibição de dois curtas produzidos por artistas e grupos com sólidos vínculos com Nova Iguaçu: Mães do Hip Hop, uma produção do Grupo Enraizados de Nova Iguaçu, e Um dia de Laura, de Miguel Nagle, um ex-aluno da Escola Livre de Cinema, hoje fazendo suas produções de São Paulo. Os dois curtas, que fazem parte da Mostra Encontros, serão exibidos às 18h. A antropóloga paulista Marcella Camargo mediará os debates que se seguirão à exibição dos dois curtas. A antropóloga também mediará o debate em seguida à exibição do documentário Parteiras de Pankararu, que aborda o universo das parteiras na Amazônia, amanhãs, às 15 h, no Sylvio Monteiro.

Como no ano passado, esta edição do Iguacine também tem o seu homenageado: o cineasta Xavier de Oliveira, autor de importantes produções nos anos 70, como filme Marcelo Zona Sul, que marcou a estreia de atores como Stepan Nercessian e Fraçoise Forton. O filme será exibido enquanto os jurados da comissão julgadora definem o ganhador da Mostra Competitiva, que esse ano terá 31 concorrentes. Todas as atividades do festival são gratuitas.


Interatividade:
Para você, qual é a atração imperdível do II IGuacine?

Nenhum comentário:

Postar um comentário