terça-feira, 24 de junho de 2008

Fazenda São Bernadino: Quem te viu, quem te vê.

Das grandes exportações às péssimas condições de produção

Por Daniel Santos

Imagens: Daniel Santos e sugadas da internet

Situada entre Vila de Cava e Tinguá, a Fazenda São Bernardino foi construída em 1875 pelo português Bernardino José de Souza e Melo. Tombada pelo Patrimônio Histórico em 1951, ela contava com cavalariças, garagem para carruagens, senzalas, habitações para escravos domésticos e engenhos de cana e mandioca até ser destruída por um incêndio na década de 1980. O que restou daquele potentado neoclássico, que produzia açúcar, farinha de mandioca, café e carvão, foi retalhado por um assentamento de sem-terra. O assentamento completa 22 anos no próximo dia 26 de junho.

As invasões, que começaram com apenas três pessoas, foram se multiplicando a partir da entrada em cena da Igreja católica. Mas restaram apenas 53 famílias das 270 existentes no auge das ocupações. Pode-se atribuir essa queda à violência policial, que resultou inclusive em algumas vítimas fatais. Algumas autoridades acreditam que o número ideal de famílias assentadas seja de 25.

Alagados

"Hoje em dia não há repressão, mas falta apoio à produção", protesta Geraldo, presidente da associação de lavradores da Fazenda São Bernardino. É por isso que a propriedade não tem muito o que comemorar, pois, longe de ser uma área de produção, a ocupação se tornou mais um local de moradia. "A renda que devia vir da pecuária e da agricultura na verdade vem do nosso trabalho lá fora, geralmente na cidade."

O problema não se restringe à falta de incentivos financeiros. O presidente da associação de lavradores lembra de um coqueiral que teve que ser abandonado devido à ausência de técnicos, para dar assistência principalmente na irrigação. Também foi por água abaixo um projeto de criação de cabras incentivado por um dos governos nestes últimos 22 anos. "Como vou criar cabrito em um lugar alagado?", ironiza o agricultor.

Lavagem para os porcos

Geraldo chegou a ter 480 porcos no seu lote, que alimentava com a lavagem que conseguia em idas diárias ao supermercado Guanabara. "Sem dinheiro para manter meus animais, vendi todos eles a preço de banana", conta ele, cuja criação foi reduzida a oito porcos e a 28 cabras. O pior de tudo é que, além de vender por um preço irrisório, Geraldo levou um cano do comprador.

As 53 famílias estão aguardando a festa do próximo dia 26 de junho como uma luz no fim do túnel. "Estamos mobilizando quem pode trazer uma solução para os nossos problemas", conta Geraldo. Além dos 22 anos da ocupação, os lavradores estão comemorando sete anos da própria associação e um ano da criação da biblioteca comunitária, onde podem ser encontrados mais de 10 mil títulos. Já confirmaram presença entidades do governo federal, estadual e municipal.

31 comentários:

  1. Se a fazenda São Bernardino é um patrimônio histórico tombado, por que a abandonaram?
    Pensam em fazer alguma coisa?

    Ass: Márcia Melo

    ResponderExcluir
  2. porque a fazenda são bernardino esta abandonada

    ResponderExcluir
  3. Não entendo como um patrimônio desses fica largado, abandonado. Podia-se restaurá-la e criar ali um museu com a história da Baixada Fluminense. Só mesmo no Brasil, monumentos como a Fazenda São Bernardino que inclusive já foi tombada pelo Patrimônio Histórico, ficam nesse estado deplorável. Ela é tão importante, que consta uma gravura da casa-grande da Fazenda São Bernardino em um dos capítulos do livro " Casa-Grande e Senzala" de Gilberto Freire. É inacreditável o desinteresse das autoridades.
    É necessário soluções imediatas, antes que seja tarde demais!!! Ou estão realmente esperando que as ruínas desabem!!?

    ResponderExcluir
  4. Eu escrevi o comentário acima!!!!!!!!!!!!! Indignação PURAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. O caso da fazenda representa o desprezo que a Baixada sempre sofreu por parte das autoridades , principalmente municipais.

    ResponderExcluir
  6. malditos, conseguiram destruir grande parte da fazenda da minha família

    ResponderExcluir
  7. Isto representa o GRANDE DESPRESO que a baixada recebe !
    Eles acham que nós devemos somente comer e se vestir, mas na verdade só precisamos disto para SOBREVIVER, e para viver precisamos de CULTURA !
    Precisamos manter VIVO parte de nossa história !
    PARABÉNS LINDBERG VOCÊ SOBE COMANDAR NOSSA CIDADE COMO NINGUÉM !

    escrito por uma estudante de 14 anos

    ResponderExcluir
  8. Essa fazenda é da minha família,mais so fui saber agora. Isso é muito triste,essa prefeitura em vez de fazer alguma coisa a respeito não, eles dexam largados uma coisa construida a séculos atrás.

    ResponderExcluir
  9. Depois "ELES" querem falar de História,se as autoridades não fizer nada esta fazenda vai virar lenda e a nova geração de estudantes que também são brasileiros da baixada fluminense nunca vão poder dizer que conhecem a história de seu bairro e cidade por que as própias autoridades não tomam nenhuma providência em relação à "cultura",mas "ELES" ainda falam que a história é importante...a verdade é que "ELES" estão pouco se lixando pra esta história que pra "ELES" não tem retorno..."autoridades politicas incompetentes"!

    ResponderExcluir
  10. sou Leonardo Alves,músico,morador de Duque de Caxias e autor do desabafo escrito acima.. estou indignado...

    ResponderExcluir
  11. a fazenda merece ser restaurada e nela ser feito um museu
    com os artefatos historicos que existem em vila de cava e tingua . fugindoo do assunto a estaçao que se encontra no centro de vila de cava tambem foi invadida e merece ser restaurada porque isso faz parte da nossa historia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De tão belas és de tamanho o casarão feito de madeira impreguinada por massocas de barro que da força de tua liga a de si tomar trabalho o tempo em derribá-la. Feita por mãos humanas e olhares cautelosos porque temiam que um dia viessem a ser julgados seus atos de exímios artífices do barroco mais consagrado!Admirados ficam os obsoletos amantes do passado quando se deparam com tão saudosa imagem real.Ainda sofro com a ruína do velho casario que o tempo arbitrário dará o seu veredito!!!

      Excluir
  12. Eu João do Pé-de-Feijão sou um grande admirador de nosso barroco. Casas, igrejas, fazendas,etc... Pena que nossos administradores não são capazes de protegê-los. Nunca tiveram próximo se quer das coisas boas da vida! Como: Pisar no chão, cortar lenha no mato, tocar gado, tirar leite e outros costumes que completam os afazeres do cotidiano de uma fazenda... Tomar banho de cachoeira, ouvir o canto dos pássaros e ter o privilégio de poder estar lado a lado com a natureza!

    ResponderExcluir
  13. o ser humano e o pior animal q existe

    ResponderExcluir
  14. estive vizitando a fazeda ,fiquei adimirando as ruinas





    a baixada fluminense tem um grande tezouro ,mais e uma pena que esteja destruída ,tenho certeza que a cidade seria um dos pontos turísco ,com todas essas belezas históricas fossem reconstruidas.estive vizitando a fazenda e pudi adimirar.que ainda a tempo de restaurar.

    ResponderExcluir
  15. ALGUÉM PREZISA FAZER ALGO ,"GENTE EU IMAGINO QUE NÃO SEJA FACÍL ,MAS SE TALVEZ AS PESSOAS INTERESADAS SE REUNICEM E FIZECEM UM GRANDE PROTESTO, QUE FALASEM COM O PREFEITO ,OU QUEM SABER QUEM DOS DESENDENTES ,ERDEIROS SE MOVESSE.

    ResponderExcluir
  16. Eu moro perto, e sempre me adimirei com as velhas estruturas,
    existentens até hoje. queria saber de todas as histórias, daquela época, e um tempo atrás, iam restaurar, a fazenda são bernadino,e do nada a obra parou na minha opinião, eles acharam algum tesouro, daquela época e por isso com medo a obra acbou sempre que vou lá, tenho essa sensação. Por que pararam com a obra? é o Brasil é um país de merda mesmo! Vamooos restaurar a fazenda prefeita!!!!

    ResponderExcluir
  17. Como a casa da cultura no centro de Nova Iguaçu foi restaurada e conservada,porque não fazem o mesmo com a Fazenda São Bernardino? Será que é porque não está localizada no centro? É uma pena perder este patrimônio que ainda insiste em estar de pé. esperando que alguem venha fazer alguma coisa.Foi tombado mas continua no tombo.ueremos a fazenda restaurada para que as futuras gerações venham conhecer a nossa história. Jane S.Barroso - Moradora de Nova Iguaçu.

    ResponderExcluir
  18. Infelizmente, esta' tudo em ruinas servindo de abrigo para usuarios de drogas, pixadores e "motel". A prefeitura não fornece nem se quer um asfalto descente para os moradores não ter que "patinar" na lama, quanto mais reformar o casarão... E' so'...

    ResponderExcluir
  19. Gostaria de saber como faço para fazer uma visita à fazenda , existe alguma equipe que realiza esse trabalho ?

    ResponderExcluir
  20. isso e o que o pessoal sa baixada merece na opiniao desses corruptos safados que mete a mao no dinheiro publico politicos fdp

    ResponderExcluir
  21. Realmente e muito triste ve o estado que a fazenda se encontra.
    Fui ate la ontem e a cada dia que passa uma parede cai.
    Fora os vandalos que insistem em rabiscar as paredes, e vergonhoso !

    ResponderExcluir
  22. O que podemos esperar de um País que não preservar sua história? Lamentável a sitguação da Fazenda São Bernardino. Gostaria de organizar um movimento que obrigasse as autoridades a restaurar essa Fazenda. Sei que já houve uma Ação Civil Pública e que a Prefeitura de Nova Iguaçú na época do então Prefeito Lindinberg se viu obrigado a começar a restauração, mas do nada a restauração foi parada. O que será que fizeram com a fortuna que o Governo mandou para a restauração?! Cadâ o Ministério Público que não toma uma medida contra a destruição de um Patrimônio Histórico como este?!

    ResponderExcluir
  23. a fazenda são bernadino virol local de dezova de defunto,estrupos,sem conta o lixo, e as oferendas religiosas que só ajuda a aumendar a degradação.

    ResponderExcluir
  24. O problema é que nossos gorvernates pensam que somos burros , que precisamos de comida igual a um bando de porcos... é mesmo uma falta de vergonha na cara deixar que um lugar que tem aquele resplendor todo e toda uma historia para ser apreciada e conhecida estejam abandonadas, depois se perguntam porque existe tanto ignorantes e analfabetos que se tornam bandidos , eu digo porque por falta de vontade de nossos governantes... imaginem esse locao restituido e como um museu... mantendo-se a historia daquele lugar.. é um misto de tristeza e de indignação ver aquilo tudo em ruinas quando se tem uma monte de verba sendo desviada para os bolsos desses politicos filhos da puta que so pensam em andar de carrão, e viver viajando, entra politico e sai e a lama continua a mesma.. essa porra é so no nosso pais... se fosse fora daqui garanto que ate os movies da epoca estariam intactos e funcionando como um museu com um alto valoe de cobrança para entrada que essa verba se não houvesse roubo poderia ser direcionada para a educação, mas infelizmente nossos governates preferem investir em presideos do que em escolas e preservar nossa historia.. Digo que sinto vergonha de ser brasileira certas horas.... Por Bianca Costa

    ResponderExcluir
  25. sou morador de vila de cava e este descaso me envergonha

    ResponderExcluir
  26. Os Gorvenantes só pensam em comer o dinheiro do povo! não vão nunca restaurar a Fazenda, porque não podem tirar lucro de lá!e o iphan serve pra que?

    ResponderExcluir
  27. uma forma diferente de ver a Fazenda :

    http://www.youtube.com/watch?v=9t7IWkp93bU

    ResponderExcluir
  28. Também acho que a fazenda de veria ser restaurada ela e todas as sua dependências tudo igualzinho como era antes e ai sim ser criado um museu contando toda sua história e de seu antepassados e a história de nova Iguaçu e Nova Iguaçu velho e de todos que ali trabalharam e foram escravizados e até mesmo mortos

    ResponderExcluir
  29. Também acho que a fazenda de veria ser restaurada ela e todas as sua dependências tudo igualzinho como era antes e ai sim ser criado um museu contando toda sua história e de seu antepassados e a história de nova Iguaçu e Nova Iguaçu velho e de todos que ali trabalharam e foram escravizados e até mesmo mortos

    ResponderExcluir