terça-feira, 4 de agosto de 2009

Desculpe o transtorno

PONTINHO DE CULTURA

Um dos espaços mais identificados com a juventude iguaçuana, Na Encolha fecha para obras a fim de receber pontinho de cultura
por Wanderson Duke Ramalho

A falta de espaço para a cultura alternativa nos grandes centros urbanos é um fato. Nova Iguaçu não foge à regra. Foi para tentar burlá-la que o músico e produtor Rafael Soares, o Nike, iniciou a terceira reforma na casa em que mora, na Califórnia. Ali funciona o espaço Na Encolha, cujas portas estão abertas para a música eletrônica, o grafite, bandas do underground local e diversão. A partir do segundo semestre, o espaço receberá as crianças do Bairro-Escola contempladas com os 60 pontinhos de cultura.

O aconchegante e colorido espaço possui um telão para exibição de animações e um equipamento de som de ótima qualidade, além de um estúdio de gravação. O espaço está sempre promovendo exposições de malabares, saraus de poesia e oficinas culturais para o público jovem, como grafite e percussão. O público infantil é contemplado com as oficinas de violão, teatro e percussão do projeto Mãos Dadas, financiadas por um conjunto de empresários da cidade.

O estúdio do Na Encolha é um dos poucos colocados à disposição das bandas da Baixada Fluminense, para que gravem suas músicas ou simplesmente ensaiem. “O estúdio do Na Encolha permite que as bandas ensaiem seguramente e sem maiores preocupações quanto à qualidade e excelência do serviço”, garante Nike.

Apesar de ser um das mais importantes referências culturais da Baixada Fluminense, o No Encolha fechou as portas para realizar a terceira reforma de sua história. “Será a mais profunda de todas”, garante Nike, ele próprio incomodado com o longo período de inatividade do local. Para fazer a reforma, o músico e produtor levantou dinheiro com alguns amigos e parou de “saracotear à noite”, segundo suas palavras.

Segundo Ana Carolina Duarte,que atua na parte de produção do espaço, a expectativa de vê-lo funcionando de novo é muito grande. “Estamos super-ansiosos porque queremos ver logo o espaço funcionando e estamos muito alegres com a equipe maravilhosa que vem conosco!”, diz a produtora. As obras no palco e no banheiro feminino já estão prontos, mas ainda faltam concluir o novo bar e a nova cozinha. “Também vamos reformular o visual do espaço com os grafites da equipe do Dante e o trabalho da artista plástica Bia Araujo”,acrescenta.

As mudanças físicas não afetarão a programação do local, um dos principais pontos de encontro da juventude iguaçuana. “Queremos ser um diferencial na Baixada tanto para novos artistas que precisam de uma oportunidade para mostrar a cara quanto trazer pro lado de cá coisas que, sabe-se lá porquê, não chegam por aqui”, afirma a produtora. Tem gente sentindo falta desse diferencial. Esse é o caso do estudante Igor Gonçalves, 15 anos, que não perdia as oficinas de grafite do espaço. “Chateia ver o espaço parado em obras mas, já que é para melhorar, vale. Eu fico aqui na expectativa.”

O estudante de letras Mauro Vasconcelos também está sentindo falta do Na Encolha, embora só tenha ido uma vez ao espaço da Califórnia. “Tudo é muito legal lá”, diz. “É muito importante uma iniciativa como essa na cidade.”

Interatividade:
Conte qual foi a noite mais incrível que você passou no Na Encolha.

6 comentários:

  1. Não tem como citar uma melhor noite. Foram muitas. Os reggaes sempre agitando a galera ; Grandes personalidades ja pisaram por ali. É uma coisa de louco, uma energia como cheirinho de insenso como Nike adora ne. Não tem como, considero minha segunda casa. E a volta conserteza vai ser sensacional! Grande beijos Duke, ficou demais a materia.Beijos a todos Jovem reporteres. saudades e orgulho de ter participado do JR. Fé! Mariane Dias, e Noites!

    ResponderExcluir
  2. Excelente matéria...

    Bem completa, realmente ta bem detalhado me senti la praticamente mesmo sem ter pisado uma vez sequer e jamais saber da existência deste local.
    Pelo que parece esse local eh bem interessante, parece até aqueles espaços culturais das comunidades de Nova Yorque.

    Mais uma vez digo q o texto ta excelente.Como sempre Duke honrando a camisa que veste. Parabens Duke tu ta nota 10. \o

    Saudades aew do pessoal =\
    Abração pra todos!

    ResponderExcluir
  3. Gente, que matéria incrível essa, fiquei bastante curioso pra conhecer o espaço, quer dizer, eu sempre ouvi falar do Na encolha e sempre tive vontade de conhecer, mas depois dessa matéria super bem escrita, fiquei mais curioso ainda.

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Obrigada, Wanderson! A materia ficou linda! Adorei!

    Visitem nosso site: www.naencolha.com.br e o nosso blog: www.blognaencolha.blogspot.com

    Paz!

    ResponderExcluir
  5. Oba, grafites do Dante! :D
    Faço minhas as palavras do Robert "sempre tive vontade de conhecer, mas depois dessa matéria super bem escrita, fiquei mais curioso(a) ainda"!
    Parabéns ao Duke e ao pessoal do Na Encolha!

    ResponderExcluir
  6. Uauu!! Que matéria linda. Só faltou a fotinha dos pedreiros trabalhando na obra. aksakskaksa
    Sempre ouvi falar do Na Encolha, mas não sabia onde era; estou supresa em saber que é a casa do Nike. Que louco!

    "Mãe, posso transformar a nossa casa em um espaço jovem com música, teatro, malabares, poesia, biblioteca, grafit e cinema também? *-* " kkkkkkkkkkkkk

    [Oi, Mauro, amigo do Duke.]

    ResponderExcluir