segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Cidadão bom de bola

SEGUNDO TEMPO


Equipe do programa Segundo Tempo discute o futuro do esporte nas escolas municipais
por Flávia Ferreira


O último dia do mês de julho foi reservado para uma reunião, na Vila Olímpica, para a equipe do Segundo Tempo discutir os eixos e temas que guiaram o trabalho feito no Bairro-Escola no segundo semestre. A apresentação de slides incluía o que os mediadores de esporte terão que observar e utilizar no seu trabalho. A proposta tem como objetivo priorizar os valores do convívio social, buscando reduzir preconceitos étnicos, sociais e morais.

O trabalho será desenvolvido pelo viés dos aspectos psíquico, cognitivo e sensorial. Dentro desse novo traçado que se quer criar, a equipe discutiu tanto os aspectos biológicos e estéticos quanto os de afetividade, respeito e ética. O território, o movimento e a linguagem também foram entraram na pauta. "Os temas geradores são questões que abordaremos a partir do próximo semestre, onde traçaremos temáticas que vão ao encontro das necessidades diagnosticadas, ou seja, trazer o que foi observado na localidade para as atividades", explica o coordenador Flávio Ruggieiro, ao exibir os slides. Para isso será utilizado um pouco de cada coisa aprendida na formação do esporte.

"Tentaremos desenvolver esses aspectos pela perspectiva do Bairro-Escola e do Segundo Tempo, mas precisamos traçar um novo desenho do atendimento do esporte, onde eu preciso pensar no que não pode faltar", diz. De acordo com Flávio Ruggieiro, os mediadores têm a função social de orientar a criança a melhorar sua condição de saúde. "Quem está pensando em apenas formar atleta, buscar campeão, em detrimento do menos habilidoso, deve começar a repensar seus conceitos sobre como uma criança pode realizar uma atividade da mesma forma que um habilidoso", alerta.

Para Flávio Ruggieiro, não se pode pensar no aluno como uma forma, onde são moldados os movimentos mais elaborados, mas trabalhar em cima das particularidades encontradas. "Transformar experiência educativa em puro treinamento técnico é amesquinhar o que há de fundamentalmente humano no exercício educativo, que é o caráter formador. Você não está só preparando o cara para ser bom de bola, está preparando um novo cidadão".

Interatividade:
Como o esporte pode formar um cidadão?

Um comentário:

  1. que lindo! Bom,sou nova nesse mundo de ' blog ' e adoraria que você pudesse visitar o meu e quem sabe comentar opinando! O seu blog está otimo,um grande beijo ;*

    ResponderExcluir