sexta-feira, 24 de julho de 2009

Para seu próprio bem

JOGOS DE INVERNO

Técnico João Luiz faz o estilo paizão das meninas que estão representando Nova Iguaçu nos Jogos de Inverno
por Josy Antunes

No sábado, dia 18, o amanhecer trouxe um grande grupo de jovens agasalhados para a entrada da Vila Olímpica de Nova Iguaçu. O ponto de encontro foi estabelecido para aguardar o ônibus que os levaria para o Ginásio Pedro Jahara, conhecido como "Pedrão", localizado na cidade de Teresópolis. Às 7 horas, o veículo já dava sinais de sua partida, com as portas abertas recebendo os atrasados. Uniformes, caixas de lanche, câmeras nas mãos, bolas e muita empolgação embarcaram para a viagem - que duraria cerca de duas horas - junto com treinadores e os jogadores que disputariam, no masculino e feminino, as seguintes categorias: Sub-17 e adulto.

Os Jogos de Inverno, que acontecem a cada ano em vários locais da região serrana, traziam naquele dia, para a quadra do ginásio, o basquete. Competem aqueles já consagrados em suas cidades de origem, como no caso da equipe Impacto, no qual as meninas pentacampeãs na categoria livre do intercolegial, lideradas pelo técnico João Luiz Gomes da Silva, foram - brilhantemente - nos representar. O projeto de incluir o público feminino no esporte começou em 1988 quando ele, na companhia da esposa, divulgou seus planos nas escolas municipais. "A gente queria chamar as meninas pra estarem com a gente, mas a questão do basquete feminino era bem mais complicada", lembra João Luiz.

Há seis anos o técnico desenvolve, além de seus trabalhos em escolas públicas e particulares, uma parceria com a Prefeitura de Nova Iguaçu, levando seus jovens atletas a todos os campeonatos que os exaustivos treinos lhes permitirem participar. Sua preocupação com essas jovens não se limita ao esporte. Além de ter conseguido 26 bolsas de estudos no Liceu Santa Mônica para as meninas que mais se dedicaram ao projeto, ele usa seu próprio carro para levar e buscar na universidade as jovens já formadas no ensino médio."Eu faço essa seleção duas vezes por ano", conta o técnico, que mantém a parceria com a escola desde que seu diretor se deu conta da importância do esporte e do talento das meninas. "Ele tinha uma cabeça boa. E foi abrindo espaço pra mim à medida que as competições começaram a dar resultados e a escola dele ia sendo mais divulgada", explica.

Os benefícios, claramente vistos nos resultados dos esforços das jovens, é um incentivo a mais para aquelas que estão ingressando no esporte. "Elas são uma referência para as meninas que chegam, que querem ser como elas um dia. E acho que o legal é isso", afirma com convicção o técnico. Mesmo quando o placar se mostrava extremamente favorável a Nova Iguaçu, João Luiz não descansava na beira da quadra, dando gritos de incentivo e broncas. Se alguma jogadora bobeasse, o time reserva já estava aquecido para entrar no jogo. Os constantes puxões de orelhas já não intimidam as meninas. "Elas sabem que isso é pro bem delas. Sabem que estou fazendo pra tentar melhorar", diz João.

A maratona de jogos do dia terminou por volta das 21h30, com uma vitória de 81 x 19 sobre a equipe da cidade de Vitória. Cada ponto marcado era comemorado pela torcida, composta de camisas brancas e laranjas da prefeitura de Nova Iguaçu, que gritava incansavelmente: "Oitenta, oitenta, oitenta!", louvavelmente atendido pelas meninas. "O grande sucesso do projeto é que elas entenderam que precisam muito do esporte e que ele pode mudar a vida delas", alega o técnico, pai e amigo.




Interatividade:
Os maiores motivadores em relação à vida, estudos e trabalho podem ser um familiar, um amigo, entre outros. Qual é o seu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário