quinta-feira, 9 de julho de 2009

Na ponta da língua

JARDIM PERNAMBUCO

Professoras da Escola Municipal Ivonete dos S. Alves levam alunos para excursão cultural na UERJ
por Nany Rabello

A incentivadora à leitura Raquel da Costa e a coordenadora político-pedagógica Andreia Quirino fizeram um curso de contação de histórias na UERJ ministrado por Bia Bedran, referência para muitos professores que trabalham com crianças. Como mantiveram o contato com o Centro Cultural da UERJ, descobriram que teria uma apresentação gratuita de Bedran na última semana de junho.

Acharam que crianças da Escola Municipal Ivonete dos S. Alves mereciam assisti-la.
Alugaram uma van e avisaram as crianças, que ficaram animadíssimas. Depois disso, foi preciso pedir a autorização dos pais antes de levar as 31 crianças que foram ao passeio. “Eles observam tudo no caminho até chegar. Eles não estão acostumados com isso”, conta Raquel, que foi até a UERJ acompanhada das professoras Sandra e Valéria.

A apresentação estava marcada para as 10 horas da manhã, mas as crianças chegaram bem mais cedo, para garantir um lugar bem pertinho da contadora. Na hora da apresentação, as crianças riram, brincaram, se levantaram e cantaram todas as canções com a Bia, mas também souberam ficar quietinhas para ouvir as histórias da famosa contadora.

“Todas as nossas crianças sabem as canções na ponta da língua”, conta a professora Valéria, que, como as demais professoras do Ivonete, usa metodologias da Bia Bedran em sala de aula, como contação de histórias e outros modos de ensinar as crianças.
Esse foi o segundo passeio da escola para ver Bia Bedran na UERJ. O primeiro levou 25 crianças do 3° ano. Já o segundo passeio contou com crianças do 1° e algumas do 3° ano que por algum motivo não foram ao primeiro passeio. “Nós queríamos trazer todas, mas não podemos”, pondera Raquel.

No final da apresentação, as crianças tiveram uma única chance de tirar fotos com Bia e conversar com a contadora. Uma das crianças chegou a reclamar com ela por não ter cantado uma de suas músicas favoritas, mas ela levou tudo no bom humor e pediu até desculpas. “Eu queria que ela tivesse cantado mais”, diz Beatriz dos Santos.
“A música que eu mais gostei foi a do Rei”, conta Jéferson de 10 anos, participante do primeiro passeio. Jéferson diz também que todas as músicas dela são boas e que, se pudesse, iria mais vezes. Mas a parte da excursão que as crianças mais gostaram foi o passeio de van. Elas jamais esquecerão esse passeio.

Interatividade:
Conte um passeio que marcou sua infância.

4 comentários:

  1. Muito legal essa iniciativa da professora em levar seus alunos até a Bia. Acho muito importante sair um pouco do ambiente escolar, principalmente para as crianças que entram em contato com um espaço diferente que também servirá para seu aprendizado.

    ResponderExcluir
  2. Acontecimentos assim são muito bonitos, porque as professoras não são obrigadas a realizar esse tipo de passeio, fazem por amor. É muita responsabilidade sair com essa quantidade de crianças, contactar os pais para autorizarem, ter que ficar atento ao comportamento de todos e tudo isso pensando na felicidade dos alunos.
    Legal da Nany ter dado atençao a isso.

    Não tenho memória muito boa, mas tenho umas imagens na cabeça de um passeio que uma turminha minha da escola fez à uma chácara. Se eu lembro um pouquinho, é porque gostei :)

    ResponderExcluir
  3. Nany,o passeio que mais gostei na minha infância,foi ter ido no Palácio Tiradentes,foi super divertido,não duvido nada que as crianças do Ivonete tenham realmente curtido o passeio,afinal de contas quem não gosta de passear? Beijos priminha parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir
  4. O passeio que eu mais gostei foi do Monteiro Lobato à Reserva ambiental de Tinguá. Foi maravilhoso!!!

    P.S. Falar que a Nany é ótima é pleonasmo... ;)

    ResponderExcluir