segunda-feira, 6 de julho de 2009

De pai para filho

JARDIM PERNAMBUCO

Grupo de idosas ensina brincadeiras antigas para alunos do José Ribeiro Guimarães
por Mayara Freire

Um evento na associação dos moradores do condomínio Ouro Preto, no bairro Jardim Pernambuco, marcou as crianças da escola José Ribeiro Guimarães. O grupo Doce Vida, com senhoras de terceira idade da região, se reuniu com os alunos da escola para ensinar e contar sobre brincadeiras da infância e a cultura de festas juninas de sua geração. Professores, coordenadores, mediadores e todas as crianças do horário integral participaram do evento. As crianças estavam muito atentas às histórias. Sentadas no chão, faziam perguntas incessantemente.

A técnica de enfermagem Regina Maria da Silva, de 52 anos, contou as brincadeiras de sua geração. “Era comum cantar cantigas de roda como ‘Pai Francisco’, brincar de roda, bola de gude e de boneca”, disse. A respeito das festas juninas, ela destacou as comidas típicas mais valorizadas. “As festas eram sempre muito esperadas. Ficávamos o dia todo preparando as comidas, bem diferente de hoje, quando só servimos produtos industrializados. Fazíamos batata doce e milho cozido na fogueira, paçoca natural e arroz doce, entre outras coisas.”

A cozinheira baiana Margarida Costa dos Santos, 58, lembrou brincadeiras menos conhecidas, como, cabra morta e passa anel. “Na nossa infância, as brincadeiras eram totalmente diferentes das de hoje, pois eram mais simples e sociáveis.” A cozinheira também brincou muito de chicotinho queimado. “Lembro que achava bastante divertida. Para brincar deve fazer uma roda e uma pessoa fica com um chicote de qualquer material improvisado, do lado de fora. É proibido olhar pra trás, pois quem fizer isso toma ‘chicotada’. Enquanto isso, pessoas da roda falam: ‘Chicotinho queimado, vale 2 cruzados, quem olhar pra trás toma chicotada’. Nesta hora a pessoa que está com o chicote, escolhe um da roda e coloca o objeto no pé dela. O escolhido tem de pegar e correr atrás dele e tentar alcançá-lo. Se não conseguir, perde o jogo e fica de fora.”

Depois de tantas histórias e brincadeiras, as crianças lancharam sanduíches com refrigerante. Elas contaram o que mais gostaram de aprender com o grupo de idosas. Larissa Couto, 7, falou que se interessou pelas bonecas de pano. “Gostei de saber que também posso fazer minha própria boneca.” O aluno Paulo César Arruda, 7, disse ter gostado do carrinho de lata. “Nunca fiz brinquedo assim e gostei da idéia. Foi muito legal”, contou sorridente. Também houve quem estivesse curioso em participar de uma festa junina.

No entanto, segundo as crianças e todos os outros participantes do evento, o ápice do dia foi quando o grupo propôs a todos fazerem uma roda e cantar a cantiga do “Pai Francisco”. Idosas, crianças e mediadores entraram na roda e se divertiram dançando e cantando:

“Pai Francisco entrou na roda
Tocando o seu violão
Bi–rim-bão bão bão, Bi–rim-bão bão bão !
Vem de lá Seu Delegado
E Pai Franciso foi pra prisão.
Como ele vem todo requebrado
Parece um boneco desengonçado”

De acordo com o mediador Marcio dos Santos, as brincadeiras aprendidas neste dia começarão a ser incorporadas nas oficinas a partir da próxima semana. Já as ideias sobre as festas juninas serão aproveitadas para a festa do colégio, no próximo dia 11 de julho. Articulador e um dos organizadores da reunião, ele falou sobre o que mais chamou atenção na experiência. “Achei interessante a clareza com que passaram as brincadeiras, relembrando a infância. Além disso, a felicidade com que transmitiram era contagiante. Foi muito animador ver as idosas interagindo com as crianças, quando dançaram na roda.”


Interatividade:
Que brincadeiras você aprendeu com uma pessoa mais velha do seu bairro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário