quinta-feira, 23 de julho de 2009

Afeto que se encerra

MÃES EDUCADORAS

Dinâmica do abraço mostra que abraçar é muito mais do que uma forma de cumprimento
por Hosana Souza

No encerramento da oficina do PSE (Programa de Saúde na Escola) para as mães educadoras, a secretária adjunta de Educação, Bernadete Rufino, organizou a “dinâmica do abraço”. Usando um texto de autor desconhecido, ela propôs que, no decorrer da leitura, as pessoas se abraçassem toda vez em que a palavra abraço fosse mencionada. “Eu gosto muito de usar a dinâmica do abraço para que as pessoas possam se tocar, já que a questão central dos nossos encontros é construir a afetividade”, diz a adjunta.

Estabelecer relações afetivas em que há demonstração pública de afeto no modelo de nossa sociedade é algo complicado. Por vezes nos deparamos com famílias em que algo que parece tão simples como um abraço, não acontece. É justamente esse ponto que Bernadete tenta trabalhar quando propõe que as mães educadoras exercitem entre si o ato da troca, do diálogo, da afetividade, do toque, do carinho. “Trabalhar abraço com mães que por vezes não têm esse costume é importante porque é na pratica que nós as fazemos sentir aquela energia de um abraço. E em meio aos sorrisos da dinâmica, nós construímos essa afetividade”, afirma Bernadete.

Essa aproximação com o outro, trabalhada de forma lúdica por Bernadete, gera, além de sorrisos, pensamentos. A mãe educadora Elisamar Ramos, de 40 anos, fala como o ato de abraçar as crianças na escola modificou sua forma de agir em casa. “Antes eu tinha alguns bloqueios, às vezes por preocupações, às vezes por vergonha mesmo. Mas hoje, com as experiências que ganho na escola e as brincadeiras da Bernadete, vejo como esse ato faz diferença. A partir disso tento sempre dar carinho à minha família e às crianças da escola”, conta a mulher que teve suas percepções e seu cotidiano familiar modificados graças às dinâmicas da criativa subsecretária.

A também educadora Djanira dos Santos, 43 anos, conta que estava com Bernadete quando ela teve o primeiro contato com o texto da dinâmica do abraço: “Foi no Tecendo Saber, organizado pela Fundação Roberto Marinho”, lembra a educadora. “Era uma formação de primeira à quarta série em um ano. Ela começou a utilizar a dinâmica nos encontros da Família Brasileira Fortalecida e depois no Bairro-Escola.” Desde então, não há reunião com Bernadete que não tenha a dinâmica do abraço. “Aprendemos a levar o abraço para a vida.”

Interatividade:
Mande uma foto em que você esteja abraçando alguém.

Um comentário:

  1. Muito boa matéria, objetiva super bem escrita. Parabèéns, Bjus linda.

    ResponderExcluir