quinta-feira, 16 de julho de 2009

Realidade de bundas

JARDIM NOVA ERA

Moradores do bairro Jardim Nova Era participam da oficina com Eduardo Coutinho
por Robert Tavares

Dia 10 desse mês aconteceu a exibição dos filmes feitos por moradores de Imbariê e proximidades, junto aos "magos" paulistas da produtora Buriti. E nesse dia festivo o convidado foi o diretor Eduardo Coutinho, que, diferente do que muitos falam, é uma pessoa aberta e espontânea. Prova disso foi sua resposta quando perguntado sobre como seleciona os personagens que ilustrarão seus documentários: "Eu sempre trabalho com personagens ridículos, como eu e você."

Os moradores de Duque de Caxias, local onde aconteceu a primeira exibição dos curtas-metragens, estava em êxtase. Thiago Fernandes e sua namorada Karina Ribeiro vieram de Jardim Nova Era só para ver o renomado diretor, cuja visita à Baixada souberam tomaram conhecimento por intermédio de amigos que participaram da oficina Cine Tela Brasil. "Eu admiro muito esse cara, chegar perto dele é um sonho", exagera Thiago.

A função de Coutinho era, basicamente, tirar dúvidas da plateia. Depois de um começo meio tímido, as perguntas esquentaram quando apareceram algumas pessoas mais ousadas, que viraram porta-vozes de todos. As perguntas eram variadas. "O que mais você gosta de mostrar nos seus filmes?", perguntou Leylanne Marins, advogada e moradora de Miguel Couto:

Na sua resposta, Coutinho disse que gosta de falar de pessoas diferentes. "Não faço filmes de pessoas como eu, acho bobagem. Gosto da diversidade. Aproveito para perguntar para essas pessoas tudo aquilo que eu não sei." As 97 pessoas que estavam na plateia perceberam isso com mais clareza depois da exibição dos "Boca de lixo", "Jogo de cena" e "Edifício Master", suas obras mais conhecidas.

Em seguida, Coutinho comentou cada um deles. "Eu fico orgulhoso em saber que existem jovens tão criativos em meio a essa realidade de bundas", ironiza Coutinho. Uma das grandes surpresas do cineasta e de sua equipe foi ver que a Baixada Fluminense é completamente diferente do que eles imaginavam, não só no ramo criativo. "Eu estava com medo de vir pra cá, pois sempre ouvi dizer que a Baixada era um lugar perigoso", diz sua assessora Hannier Matta, que mora no Humaitá.

"Essa massa criativa não pode ser desperdiçada, vocês têm muito a acrescentar", comentou Coutinho com os produtores dos filmes "Boal vivo", "Alice" e "Um sonho, uma família, um lugar". "Ter o Eduardo Coutinho como a primeira pessoa a comentar um filme meu é a coisa mais incrível que poderia me acontecer hoje", emociona-se Suzy da Silva, moradora de Imbariê.

Interatividade:
Qual o seu diretor nacional favorito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário