quinta-feira, 16 de julho de 2009

O Orestes Bernardo Cabral com a Rita é um carnaval

VILA DE CAVA

Funcionária do colégio é também diretora e passista de escola de samba
por Julliane Mello e André Batisti

Simpática, Polêmica e Popular. É assim que os alunos e funcionários da Escola Municipal Orestes Bernardo Cabral, em Vila de Cava, vêem Rita Luzu, de 50 anos. A auxiliar de serviços gerais que a 5 anos trabalha na instituição é diretora e passista da escola de samba Acadêmicos de Nova Brasília.

Rita Luzu faz parte da família Orestes antes mesmo da escola existir, pois antes do prédio ser transformado em colégio funcionava ali a quadra da escola de samba Independentes de Vila de Cava. Um dos fundadores da escola é o pai de Rita, que foi nascida e criada em Vila de Cava. “Conheço cada pedacinho deste bairro. Sei da história do Orestes desde que foi fundado. Amo trabalhar aqui”.

A passista conta que a escola de samba acabou por causa das muitas trocas de presidente. “O último que passou pela avenida foi o vereador Dejair Cabral, que vendeu o terreno para a prefeitura e pediu que fosse construída ali uma escola municipal, que nomeou em homenagem à seu pai”.

A escola municipal foi muito bem vinda no bairro, mas ainda há quem sinta falta da escola de samba. “Vim trabalhar aqui por acaso, e foi um grande presente para mim, pois sinto falta dos tempos da quadra. Trabalhar aqui é uma maneira de continuar firmada em minhas raízes, lembrando sempre de meus pais. É um tempo que não volta mais”, afirma Rita.

Ao perguntar a Rita se gostaria que o Orestes voltasse a ser escola de samba, ela se assusta. “De jeito nenhum. Isto aqui é a esperança de Vila de Cava ser lembrada. Ajudo a escola como posso, trazendo artigos de festas e fantasias para que as crianças possam fazer peças teatrais”.

Em fevereiro, quando a folia sai às ruas, a passista recebe aplausos e carinho dos alunos que arrastam os pais para o centro de Nova Iguaçu só para ver a tia Rita passar. “Mãe olha a tia da escola pelada” é uma frase que o estudante do quarto ano Matheus Ferreira de 10 anos pode explicar bem. “ A primeira vez que vi a tia Rita com aquele biquíni pequeno passar eu levei um susto porque aqui na escola ela ta toda tampada, mas agora eu já acostumei. Ela é muito animada. Tem que ver ela sambando”, diz ele, orgulhoso de conhecer o carnaval de perto levado por Rita Luzu.

Mônica Paulucio, 28 anos, colega de trabalho de Rita diz que o bafafá é grande quando as crianças voltam às aulas depois de fevereiro. “A vida da Rita é um carnaval, e isto ela tem de bom, a alegria. Não temos do que reclamar dela aqui, ela te coloca qualquer um pra cima. Sem contar que ela é a grande conhecedora da história do Orestes”.

Tão conhecedora que está sendo preparado um documentário sobre a história do colégio, e Rita é um dos “personagens” principais do filme. Ela é considerada a pessoa mais indicada para contar sobre A FANTÁSTICA SAGA DO ORESTES BERNARDO CABRAL.

Um comentário:

  1. Monica Incentivadora à palavra29 de agosto de 2009 19:44

    A Ritinha é um espetáculo!Parabéns, vc merece td de bom,um bjo!

    ResponderExcluir