quarta-feira, 8 de julho de 2009

A multi-mãe

JARDIM NOVA ERA


Mãe-voluntária de Jardim Nova Era é um exemplo de amor e comprometimento
por Fernanda Bastos e Vinícius de Azevedo

Ser mãe continua sendo o sonho de toda mulher. Quando vemos uma avó, dizemos que a mesma é mãe duas vezes, mas Verônica de Lima, 42 anos, conquista no Bairro-Escola a categoria privilegiada de ser mãe pela terceira vez.

Verônica é mãe–voluntária há 5 meses na Escola Municipal Nilton Gonçalves de Barros, em Jardim Nova Era. Moradora do bairro há mais ou menos 20 anos, ela já foi babá e vendedora. “Nosso bairro mudou muito, está crescendo e eu quero participar desse crescimento de uma forma mais intensa. Então pensei, por quê não ingressar nesse agente de mudanças que é a escola?”

Com todo o seu carisma, alegria e determinação, a multi-mãe do Bairro-Escola conseguiu a amizade das crianças. Verônica, além de mãe, é conhecida pelas turminhas da Nilton Gonçalves como a “amiga dos menores” e “conselheira dos maiores”. Essa relação é tão intensa que Verônica vai à escola todos os dias da semana. Toda sorridente, ela suspira: “Sinto muito carinho por todas as crianças, elas são como se fossem meus filhos, fico muito triste quando não posso ir à escola.”

O filho mais novo da nossa mãezona é aluno do Leopoldina. Agnaldo Ferreira da Silva,13 anos, está cursando o 8º ano e, mesmo estudando para a prova de Ciências do dia seguinte, ele nos dá uma pequena entrevista e ainda posa para nossa foto ao lado de sua mãe. O caçulinha da família estuda de manhã e quando chega em casa sua mãe ainda está na escola vizinha. Ele almoça com seu pai e espera ansiosamente para ter sua mãe só pra ele durante o resto do dia.

Diante da pergunta sobre a existência de crianças indisciplinadas na escola, Verônica nos conta que conversa muito com crianças que têm alguns problemas de socialização e a conclusão que ela chegou nesses 5 meses foi á seguinte: “Com tantas preocupações os pais muitas vezes acabam se fechando para seus próprios filhos. Se eles precisam de nós quando adultos, casados e até mesmo quando pais, imagine quando ainda crianças. O que eu percebo constantemente é a carência de atenção e carinho, por isso sou tão feliz em ser mãe voluntária, procurando aproximar as crianças de mim e afastá-las do mundão.”

Que através dessa simples matéria você dê mais atenção e valorize mais sua família e curta seus filhos o máximo possível, que o exemplo de amor e dedicação de Verônica comova os pais de Nova Iguaçu.

Interatividade:
Que prova de amor vocês pais dão ou já deram aos seus tesouros mirins?

Um comentário:

  1. Amor, você se supera a cada dia. Amei esse texto e acho que foi o melhor que você já escreveu nos ultimos meses. Está escrito com amor. Qualquer mulher sonha em ter filhos e qualquer filho sonha com o amor de suas mães. Convivo com situações extremas onde pequeninos não conhecem o que é o amor. Um colo, um leite materno, um afago. Uma simples história porém bonita e você transforma em uma lição de vida. Quem ler só encontra alegria e isso é o que procuramos fazer no Jovem Reporter. Trazer a alegria do bairro pra toda a cidade. Sem duvida você é campeã. A sensibilidade que falamos na materia sobre o amiguinhos da comunidade é a mesma que você demostra nesta materia. É lógico que essa mãe tem problemas, é moradora da periferia, a criança não tem tudo que precisa nem em casa e nem na escola. É a realidade que eu como geógrafo não deixo de ver. MAs você mergulhou fundo no que há de mais positivo, fascinante, inspirador.Cada palavra me tocou. A.D.O.R.E.I.
    Essa mulher tem muito a me acrescentar q qualquer educador social ou professor, seja na sala de aula ou nas instituições de abrigamento, o que falta é o amor. Se cada mãe de Nova Iguaçu fosse um pouco de Verõnica de Lima eu perderia meu emprego com muito orgulho. Não veriamos tantas crianças fora da escola, abandonadas, tomadas pelo conselho tutelar, feridas ou drogadas, envolvidas em crimes ou mesmo mortas precocemente.
    Mães e pais, isso não é um favor. É uma obrigação que consta no .E.C.A - Estatuto da Criança e do Adolescente. LEI N° 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990
    -------------------------------------------
    ART. 4° - É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do Poder Público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.
    ---------------------------------------------

    Reflitam!!

    MEU VOTO DA SEMANA VAI PARA A FERNANDA NESSA MATERIA

    ResponderExcluir