terça-feira, 28 de julho de 2009

Olhar de criança

FORMAÇÃO

Mediador de Jardim Pernambuco tenta ver o mundo como uma das crianças para melhorar suas oficinas
por Mayara Freire

Márcio dos Santos tem 31 anos e é um dos mediadores que estão mudando a vida de muitas crianças no horário integral. Há dois anos e meio trabalha na Escola Municipal José Ribeiro Guimarães, no bairro Jardim Pernambuco, em Nova Iguaçu. Estudante de História na UERJ, seu objetivo sempre é avaliar todas as formas possíveis de aprendizado ebuscar um meio de fazer com que os alunos sintam prazer ao realizar todas as atividades culturais.

Tudo teve início quando um amigo, já estagiário do Bairro-Escola, mostrou que seria uma ótima oportunidade de conseguir se desenvolver no ambiente escolar. “Como serei professor um dia, esta chance está sendo ótima para ter mais experiência com pessoas”, explica.

Para melhor desenvolvimento de todo o trabalho, Márcio espera ter sempre oportunidade de aprender coisas novas, como técnicas de animação para crianças, a fim de evitar a dispersão. O mediador ainda destaca a importância das aulas de formação para os oficineiros, onde eles aprimoram a forma de agir em aula. “Gostaria de aprender e aplicar nas aulas assuntos como criação de quadrinhos, mundo circense e repente”, conta.

Ele acredita que os próximos encontros de formação serão interessantes e criativos, mas acredita que só com uma pesquisa com os mediadores seria possível definir o que é preciso melhorar nas aulas de formação para o próximo semestre. “Poderia haver uma pesquisa sobre o que os mediadores querem aprender e trabalhar com as crianças”, sugere.

Márcio encanta ao revelar com profundidade todo seu trabalho e conta o que mais aprendeu: olhar o mundo pelos olhos da criança. “Assim ficou mais fácil lidar com elas”, afirma. Contudo, ele revela que as dificuldades ainda existem e admite não ter segurança plena ao realizar alguns trabalhos.

Porém, tudo se resolve ao final, com o sucesso de cada oficina realizada. “Depois de tudo pronto, vejo que valeu a pena”.

Interatividade:
O que você acha que as crianças gostariam de aprender?

Nenhum comentário:

Postar um comentário