quinta-feira, 2 de julho de 2009

Com amor se paga

CERÂMICA

Mãe voluntária diz que amor vale mais que dinheiro
por Flávia Sá

Ser Mãe voluntária para Eunice, 38 anos, ainda era pouco. Ela não mede esforços para declarar seu amor pelo projeto Bairro Escola. Eunice começou como mãe voluntária no ano passado e mesmo com o término do seu contrato não se deu por vencida. A mãe gostou tanto do projeto que continuou na escola sem receber nenhum centavo pelo serviço. Foi quando a Coordenadora do Bairro Escola, Ana Cristina, a chamou de volta, mas desta vez para trabalhar como estagiária. No novo trabalho, Eunice iria ter ajuda de custo.

A mãe disse que tem prazer em trabalhar com as crianças. Ela revelou que não conhecia o BE, mas, quando conheceu, se apaixonou e nunca mais o largou. Ela achou o programa legal porque a criança passa mais tempo na escola e não tem tempo de fazer o que não presta. Por isso, resolveu colocar seus filhos, um de 12, outro de 07 anos, para participar do integral. Seu filho, Eunício, disse que gosta muito de estudar no colégio Estanislau Ribeiro do Amaral e que é muito bom ter sua mãe como voluntária.

Eunice disse ainda que quer passar algo de bom para as crianças, pois sente que elas são carente de carinho. o carinho que alguns pais não podem dar, Eunice tenta passar em forma de mensagens e amor. Para ela neste mundo há muita violência e pouco amor

“As pessoas hoje só pensam em brigar. Não tem mais aquele conceito de união, e é isso que eu quero passar para essas crianças. Elas precisam muito de atenção e afeto”, diz Eunice, com discreto brilho no olhar.

Eunice contou que quando está com as crianças do horário integral, passa desenhos para serem coloridos e outra atividades que relaxam. Ela tem o costume de levar uma Tv para eles assistirem uma vez na semana. Outro dia levou um DVD com o documentário da Marinha. O Rei Leão está cotadíssimo como próximo vídeo para as crianças.

Eunice é casada e seu marido também ajuda na escola como pode. No início, ele achou que ela não tinha jeito com crianças, mas agora já dá o mesmo carinho dado a seus filhos. “Mais vale uma amizade do que muito dinheiro. É isso que estou fazendo aqui no Bairro Escola”, diz Eunice, mostrando muita satisfação com seu trabalho.

Para se aperfeiçoar mais, ela resolveu se matricular na Escola Centro Educacional Victor e Vladimir, em Mesquita. O Colégio é particular e ela paga com o dinheiro que recebe do estágio que faz no colégio Estanislau. Há um ano, ela faz o curso de Formação de Professores.


Interatividade:
Você trabalharia sem receber salário?

Nenhum comentário:

Postar um comentário