quinta-feira, 26 de março de 2009

Música para salvar o planeta

Jovens da Baixada farão lual na Via Light para protestar contra aquecimento global
por Mariane Dias

Um lual idealizado pelos jovens de Nova Iguaçu, à luz de tochas e ao som de música acústica, deve superlotar a Praça dos Direitos Humanos, ali na Via Light, na noite do próximo sábado. O objetivo deles é participar da luta contra o aquecimento global, em um evento mundial coordenado pela ong WWF – World Wildlife Fund. É a terceira edição do evento, que começou em 2007 na cidade de Sidney e se estendeu para 74 cidades em 2008. O evento ficou conhecido como a Hora do Planeta.

É a primeira vez que cidades brasileiras participam da Hora do Planeta. Em Nova Iguaçu, o evento está sendo organizado pelo ativista político Luiz Felipe Garcez, o Pato. “Soube da Hora do Planeta por um email mandado pela própria WWF”, conta o ativista. O mesmo email que ele recebeu chegou a Thiago Serrano, o vocalista Guinho da banda iguaçuana Prefixo. Os dois começaram a trocar informações e decidiram criar uma comunidade no Orkut para discutir a participação da cidade.

A comunidade cresceu de modo viral e hoje já tem 420 membros entusiasmados, que ao longo das discussões resolveram dar um toque especial ao protesto comando de Sidney pela ong ambientalista. “A gente não queria só passar uma hora com as luzes apagadas”, conta Garcez. O conceito do luau foi surgindo à medida que os membros da comunidade trocavam scraps, definindo o lugar e a hora da Hora do Planeta iguaçuana.

Uma das ideias centrais da mobilização era que ela fosse feita só pela internet, sem panfletos ou comerciais. “Estamos medindo o nosso poder de fogo virtual”, afirma Garcez. Outra característica da mobilização é que apenas os jovens estão participando. “Não sei se vão aparecer 20 ou 400 pessoas”, diz ele. Sua única preocupação é que o lual atraia pessoas apaixonadas pela defesa do futuro do planeta, de preferência jovens.

Mesa com frutas
A marca da informalidade foi imprimida na própria concepção do evento. “Gostaríamos de fazer uma mesa com frutas e refrigerantes, mas ninguém é obrigado a levar nada.” A organização está mandando scraps para comunidade nos quais pede que os jovens evitem bebida alcoólica no luau. Mas nada será proibido.

Os organizadores do evento têm esperança de que apareçam diversas bandas da Baixada Fluminense, mas até agora só confirmaram presença a Vó Ruth, a Prefixo e um grupo do CEFET. “Quem quiser tocar, pode aparecer.” O lugar do lual foi escolhido por causa do acesso e da sua acústica, embora os fóruns virtuais tenham levado em consideração a questão da segurança. “O batalhão garantiu uma viatura para dar segurança ao protesto.”

Além de música, haverá debates sobre o meio ambiente. “Mas não vamos ficar só na questão ecológica”, garante o ativista, que quer terminar o lual com propostas concretas para melhor a qualidade de vida em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense e em Nova Iguaçu. “Tragam sua arte, seu violão, suas frutas, e é tudo nosso!"

Acesse e saiba mais sobre o Lual, na comunidade "Hora do Planeta - Nova Iguaçu"
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=84597577

Um comentário:

  1. são atitudes como essa que estavam faltando por parte da nossa juventude . ô/

    ResponderExcluir