sexta-feira, 6 de março de 2009

Mãos de tesoura

por Luiza Alves

Desde pequena Michele Martins, de 32 anos de idade, moradora do bairro Jardim Alvorada, sempre gostou de cuidar de cabelos. Suas primeiras clientes foram suas irmãs e primas, que não perdiam oportunidade de tirar proveito de sua capacidade para fazer penteados e de submeter seus cabelo a suas famosas hidratações.

Quando casou-se com o primeiro marido, Michele Martins foi morar em São Paulo e, lá, teve que interromper o curso profissionalizante no qual estava desenvolvendo o dom de cabeleireira para ajudar nas contas de casa.

Com a separação, voltou para o Rio de Janeiro, para a família e, principalmente, para o curso de cabeleireira, feito com o dinheiro apurado com a venda de bonecas de pano que suas habilidosas mãos produziam.

Hoje Michele tem um salão em casa, onde recebe suas clientes de forma muito carinhosa. “Só faço escova com a Michele”, disse Laís Pinheiro, de 16 anos. “Ela trata meu cabelo como se fosse um filho. Nunca vi uma profissional com tanto amor pelo que faz.”

Um comentário:

  1. Manicure sempre ajuda né! rs ! minha mãe também é, e tem muito orgulho disso!

    ResponderExcluir