quarta-feira, 3 de junho de 2009

Receitas da Nova Era

JARDIM NOVA ERA

Merendeiras da Leopoldina Barros dão suas receitas para as festas juninas
por Fernanda Bastos da Silva / fotos de Edson Borges Vicente

“Da abóbora faz melão
Do melão faz melancia
Da abóbora faz melão
Do melão faz melancia
Faz doce, sinhá
Faz doce, sinhá
Faz doce, sinhá, Maria (...)”

Se depender das tias da cozinha da Escola Municipal Leopoldina Barros, as barraquinhas de doces e salgados das festas juninas no Jardim Nova Era deixarão a molecada com água na boca. Em entrevista realizada com quase um mês de antecedência do início das *comemorações*, elas mostraram estar com a língua afiada para explicar algumas receitas simples e deliciosas. Ficamos de água na boca.

A primeira entrevistada foi Maria de Fátima Cabral, com 44 anos de e 5 como cozinheira, é a das merendeira mais antiga da escola. Além de citar algumas comidas típicas da época, como canjica e angu doce, ela nos ensinou uma receita suculenta e muito utilizada pelas doceiras dos arraiás: a cocada de frutas.

Ingredientes:
1kg de coco ralado fresco
1kg de açúcar cristal
400g de leite em pó Fruta a gosto

Modo de fazer: Leve ao tacho 1kg de açúcar com o leite. Quando derreter, junte o coco. Mexa até criar uma crosta condensada e a seguir acrescente a fruta desejada. Observação importante: mexa até soltar do fundo. Quando isso acontecer, sua cocada estará no ponto. Utilize o espaço de sua pia ou uma mesa lisa e plana. Despeje o doce ainda quente e corte no tamanho que achar melhor. Agora é só esperar esfriar e se deliciar. Mas espere esfriar!!! Essa doçura rende aproximadamente 25 porções.

Nossa segunda tia foi Valdete Caetano da Silva, 40 anos, quatro dos quais dedicados à criançada das escolas de Nova Iguaçu. Ela costuma preparar algumas receitas típicas para sua família, mas já chegou a fazer algumas delas na Escola Municipal José Ribeiro Guimarães, em Ouro Preto, onde trabalhou até ser transferida para Jardim Nova Era. Para ela, os pratos mais apetitosos servidos nas festas juninas são o cuscuz, o angu à baiana, o bolo de cenoura, o bolo de fubá e a clássica canjica. Este será o primeiro ano em que dona Valdete participará de uma festa junina como cozinheira da Leopoldina. Ela nos contou que ainda não sabe quais serão os pratos da festa de São João, mas nos fala que uma feijoada é garantida.

Já a caçula das tias da cozinha, Mônica Aparecida do Nascimento, 38 anos, é também a mais nova na profissão, com dois meses como merendeira. Isso não quer dizer que seja menos experiente. Ele contou que sua filha sempre participa das festas da escola e que ela é quem prepara variados pratos típicos da festa de junho. Ela não resistiu em nos passar uma receitinha, assim como fez tia Maria de Fátima. Porém, para variar o sabor, ela descreveu uma delícia salgada: o caldo verde.

Ingredientes:
1 kg de ervilha
½ kg de batata
½ kg de cenoura
½ kg de linguiça calabresa
2 pedaços de bacon
3 tomates
2 pimentões
2 cebolas
2 dentinhos de alho
Oléo
Sal a gosto
2 pedaços grandes de carne seca
2 pedaços de costelinha salgada a gosto

Modo de preparar:
Primeiro escalde os salgados e depois frite-os assim como a linguiça e o bacon. Não esqueça do alho.
Acrescente o tomate, a cebola e o pimentão e refogue a batata e a cenoura.
Agora, com todos os ingredientes na panela, leve à pressão de dois a cinco minutos.
Pronto, é só servir quente. Mas cuidado pra não se queimar.
Rende 10 porções.

Mônica ainda nos contou que sua família costuma fazer uma fogueira, onde a criançada toda e os adultos também gostam de assar salsichão e batata-doce - no friozinho de junho, uma fogueirinha esquenta, principalmente com um caldo verde quentinho. E disse mais: “Faço ainda pastel, cuscuz, milho cozido e canjica.”

Desse jeito, a gente vai querer que chegue logo o tempo das festas para saciar a fome que essa matéria desperta. O Bairro-Escola de Nova Era vai virar Bairro-Refeitório e as ruas serão invadidas por estômagos famintos de doces e salgados feitos pelas tias da cozinha do Leopoldina para as festas juninas.

*Comemoração - junção do prefixo latino "co" (uma redução de "com") com "memorar", que significa trazer à memória, lembrar, ou seja, relembrar em conjunto.

Fonte - http://educacao.uol.com.br/folclore/ult1687u35.jhtm
Fonte da cantiga - http://www.qdivertido.com.br/cantigas.php


Nenhum comentário:

Postar um comentário