segunda-feira, 22 de junho de 2009

Orquestra de Câmara

CERÂMICA

Metodologia da Escola Livre de Música Eletrônica estimula crianças a ler

por Raphael Teixeira


A Escola Livre de Música eletrônica, na Cerâmica, vem demonstrando que é capaz de trabalhar com boa literatura usando metodologia criativa. Desta forma, os alunos da ELME se sentem atraídos pelo universo sem limites do livro, incluindo aqueles que nunca tiveram um contato mais íntimo com os livros.

Em conjunto com a Escola Livre de Cinema, a ELME está fazendo um trabalho a partir de quatro contos de Câmara Cascudo, o maior folclorista do Brasil. Serão produzidos quatro clipes com base nesses contos pela Escola Livre de Cinema, sonorização da ELME. A ideia é fazer a criança desenvolver múltiplos conhecimentos ao longo desse processo, como técnicas básicas de edição musical em computadores, contato maior com a literatura, exercício de criatividade e muito mais. “Estou adorando participar dessas aulas com histórias. Parece que a gente vem aqui e fica sonhando”, conta Hillary da Silva, de 13 anos.


A dificuldade inicial era adaptar uma literatura que a princípio poderia soar distante da realidade das crianças para algo prazeroso, leve. Esse processo foi sendo apresentado aos poucos. Uma etapa de cada vez. “Queríamos mostrar que os contos não estavam distante das realidades vividas por todos eles”, conta o artista multimídia Anderson Barnabé, coordenador da ELME.

Na primeira semana, os mediadores mostraram apenas palavras soltas dos contos, para que as crianças pudessem fazer livres associações. A segunda semana foi dedicada aos personagens de Câmara Cascudo. “Queríamos que a molecada imaginasse como eles são”, acrescenta Barnabé. Também fazia parte da estratégia ignorar o assunto dos contos.

Os alunos ficaram desesperados, perguntando o que tinha acontecido com os contos do folclorista potiguar. “Na quarta aula, sabe o que aconteceu?”, pergunta Barnabé. Ele mesmo responde: “Eles devoraram os contos, ainda que jamais tivessem lido nada na vida.”

Com essa metodologia, o curso incentiva, também, a leitura. Sendo assim, uma imensa porta para o conhecimento se abre diante desses alunos. “Eu gostei muito de começar a ler. Agora eu não leio só aqui na escola, sempre quero ficar lendo em casa também. Ler é muito legal”, diz Anderson dos Santos, de 13 anos.


Interatividade:
Conte como foi seu processo de iniciação à leitura?

Nenhum comentário:

Postar um comentário