segunda-feira, 1 de junho de 2009

O sítio de Vila de Cava

por Julliane Mello

Emília, Narizinho, o carinhoso Porquinho Rabicó e as histórias de Tia Anastácia deixaram o Sítio do Pica-pau Amarelo para a Escola Municipal Orestes Bernardo Cabral, em Vila de Cava.

A leitura sempre fez parte do cotidiano da escola, que não à toa foi a que mais cresceu no índice do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Mas ninguém dentro dela nega o salto de qualidade no projeto desde a chegada do mediador cultural Márcio Rufino, de 36 anos.

Um dos principais instrumentos de trabalho de Rufino, que está concluindo o curso de história, é o livro Histórias de Tia Nastácia, do escritor Monteiro Lobato. “O livro está dando 100% certo”, comemora o mediador.

A obra de Monteiro Lobato caiu como uma luva no novo momento das oficinas culturais, que estão trabalhando com a cultura popular brasileira. “São poucos os momentos da literatura nacional que dialogam com personagens do nosso folclore com tanta intensidade”, afirma Rufino.

O trabalho só não é mais bem-sucedido porque a ausência de parceiros está retardando o início do horário integral na escola de Vila de Cava. “Mas a gente compensa a dificuldade juntando as crianças no intervalo das aulas”, conta.

O livro aguçou a criatividade das crianças e surgiram várias sugestões, como as interpretações e leituras em grupo. Um dos momentos mais marcantes da relação das crianças com as histórias de Tia Nastácia foi a apresentação da música “Emília”, de Baby Brasil.

Um dos destaques dessa apresentação foi Samuel de Jesus, aluno de seis anos do primeiro ano que sequer sabe ler. “Eu gosto de olhar as figuras e imaginar qual é a historinha”, conta ele.

Para a professora de Samuel, Janaina Cavalcante, de 40 anos, é gratificante ver o interesse das crianças pela leitura. "Fico emocionada quando elas me perguntam quando vai ser a próxima vez que eles vão saber mais uma historinha contada pela Tia Nastácia."



Interatividade:
Você acha que existe alguma relação entre o projeto de leitura da Orestes e o fato de esta ter sido a escola de Nova Iguaçu cuja média mais cresceu no último IDEB?

3 comentários:

  1. Pode ser que sim...E pode ser que não..

    [Momento filosofia]
    Nunca podemos afirmar que "A" é causa de "B" apenas porque "B" se origina após "A".
    Podem haver outras variáveis que determine
    am a formação de "B", mas que sejam de desconhecimento público.

    Mas isso não significa que "A" não tenha influencia pela formação de "B".

    ResponderExcluir
  2. A matéria está ótima, mas vocês se esqueceram de salientar a enorme importância da nossa profesora de incentivo à leitura Mônica Pauluccio e que os contos presentes no livro histórias de Tia Nastácia, na verdade, foram coletados por Sílvio Romero da oralidade popular. Mesmo assim, valeu paca. Agradeço em nome de todo o Orestes Bernardo Cabrl. Abrçs!!!

    Marcio Rufino (Mediador Cultural)

    ResponderExcluir
  3. Monica -incentivadora á palavra do Orestes29 de agosto de 2009 19:57

    Márcio parabéns,fico mt feliz em saber que o Orestes conquistou seu espaço,graças a coragem e ousadia de pessoas como vc,continue sendo esse rapaz humilde,criativo e nunca,mas nunca mesmo permita que pessoas negativas te coloquem pra baixo,o incentivo a leitura do Orestes com certeza ganhou demais com a sua chegada,um forte abraço!!!

    ResponderExcluir