terça-feira, 23 de junho de 2009

PAC da educação

Sessenta e oito escolas municipais de Nova Iguaçu serão beneficiadas pelo PDE
por Mayara Freire

A partir de agosto, escolas municipais de Nova Iguaçu começarão a receber investimentos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). Direcionado para o ensino fundamental, o processo de seleção para participar do programa foi baseado na Prova Brasil do ano anterior, com as escolas que obtiveram média de notas abaixo de 4.2 pontos. Este parâmetro foi usado a partir da média nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Em 2007, o Ministério da Educação ofereceu apoio técnico às equipes escolares para elaborar planos de ação e superar dificuldades. Foram organizados 14 encontros com secretários estaduais e dirigentes municipais de educação. A partir disto, foram apresentadas estratégias de elaboração do PDE-Escola. Este é o segundo ano que escolas de Nova Iguaçu irão fazer parte do Plano.

O processo começa quando cada escola que teve a média baixa recebe um questionário, onde são respondidas questões sobre o funcionamento educacional. Após isso, o relatório é enviado ao MEC e são avaliados o que deve ser necessariamente aperfeiçoado, criando um plano de ação pedagógica para aplicar a verba.

O PDE-Escola é considerado um processo de planejamento estratégico desenvolvido pela escola para basicamente, aprimorar a qualidade do ensino e da aprendizagem dos alunos. O objetivo é fortalecer a autonomia da gestão escolar a partir de um diagnóstico dos desafios de cada uma delas e da definição de um plano para a melhoria dos resultados, com foco na aprendizagem dos alunos. Cada plano é feito pela própria equipe e indicam as metas a serem atingidas para aumentar os indicadores educacionais.

Adriana Manique, coordenadora dos anos iniciais do ensino fundamental de Nova Iguaçu, avalia o programa. “Já é um avanço quando os diretores respondem às questões, pois todos estão discutindo e avaliando os problemas pertinentes do ambiente escolar. Depois desta análise, eles conseguirão focar e aplicar o financiamento exatamente nas deficiências da escola.”, diz.

Leitura e escrita
Entre as escolas que possuem o tempo integral e que terão essa prioridade do MEC, para a assistência técnica e financeira, estão incluídas: Prof. Rui Afrânio Peixoto, Hauller Ferreira, Profª. Ana Maria Ramalho, Janir Pereira Clementino e São Miguel Arcanjo, todas de Miguel Couto.

De 132 escolas existentes em Nova Iguaçu, 68 vão receber a verba do PDE em 2009, com investimentos voltados para a compra de computadores com acesso à Internet - do Programa Nacional de Informática na Educação (ProInfo) -, material pedagógico, para aulas de reforço e preparação de professores. Além disso, serão realizadas adequações arquitetônicas para garantir maior acessibilidade aos alunos, como construção de rampas, reforma de banheiro para cadeirantes e sinalização visual e auditiva.

Adriana Manique avalia ainda as maiores carências das escolas do município. “Percebo que, assim como em todo o país, encontramos em Nova Iguaçu maiores deficiências na alfabetização, ou seja, na leitura e escrita. Com essa verba do programa, poderemos melhorar, investindo na capacitação do professor e na aquisição de materiais adequados. Com isso, estamos contribuindo para que haja um melhor desenvolvimento dos alunos, favorecendo resultado de maiores notas”, conta.



Um comentário:

  1. Seria mesmo um sonho ver a edcação melhorando em nosso município,não só nele mas em todo país.
    Aliás a leitura é de suma importãncia e,mesmo sendo um dos poucos países que possuem letras em sua bandeira,não ser um dos pioneiros da escrita, chega a ser um tanto irônico.

    ResponderExcluir