segunda-feira, 24 de novembro de 2008

A pedagoga que sonhava em ser advogada

Tereza queria ser advogada. Mas é feliz como pedagoga
por Vanessa Paes

Tereza dos Santos tinha um sonho: ser advogada. Mãe de três filhos, os caminhos da vida a levaram para outro lado. Ficou grávida e teve de parar de trabalhar e estudar.

Ela já exerceu diversas profissões: foi doméstica, acompanhante, auxiliar de escritório, auxiliar de produção – enfim, trabalhava em tudo que aparecia. Chegou até a lavar roupa para sustentar a casa.

Durante essa jornada de trabalho, resolveu estudar novamente, concluindo o ensino médio. Decidiu então se inscrever no vestibular. Fez a prova aos trancos e barrancos, apesar das imensas dificuldades e quase sem dinheiro. Foi aprovada, e decidiu fazer pedagogia. Queria transmitir seus ensinamentos, preparando jovens. Já havia trabalhado em uma escola anteriormente, e conhecia os meandros da profissão.

No ano de 2006, conseguiu enfim se formar. “Foi o dia mais feliz de minha vida. Tracei um objetivo, corri atrás e consegui”, afirmou.

Hoje ela atua como professora do ensino fundamental e está plenamente integrada na nova profissão. Não conseguiu concretizar o sonho da advocacia. A nova profissão a faz sentir realizada. Pensa até em ser diretora. Quem sabe?

Nenhum comentário:

Postar um comentário