quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Minha Família é Assim
Por Aline Cristina

Vou começar falando sobre meu tipo de relacionamento com minha família. O relacionamento é ótimo, embora meus pais comecem a pegar muito “no meu pé”, tolhendo minha liberdade. Meu pai é um tipo de homem que quando está em casa não fala nada, mas na rua se modifica. Todo final de semana quer beber uma cervejinha junto com seus amigos. Às vezes ele abusa dos copos. Resultado: mal consegue ficar em pé.

O único problema é que ele não gosta muito de sair conosco, prefere ficar em casa bebendo, vendo filmes na telinha, acompanhado de um copinho.Gosto muito de praia, mas nem sempre ele acompanha a gente. O almoço aos domingos é sagrado. É uma tradição reunir toda a família. São momentos em que ele se sente realizado, junto das pessoas que mais gosta.

Gosto de minha mãe
Agora é a vez de falar um pouco sobre minha mãe. Ela adora passear, mas só vai, se meu pai acompanhá-la. Gosta muito de cinema, mas fica frustrada porque meu pai não gosta. Ela prefere não ir sozinha. Se lembra do tempo em que eram namorados, e que meu pai sempre a acompanhava e dizia que adorava cinema. Ele argumenta que agora que estão casados não tem mais necessidade de fazer esse tipo de programação.

Apesar destas divergências a relação deles a meu ver, é ótima. Estão unidos há mais de vinte anos, e nunca presenciei briga entre eles.

O meu tipo de relação com meus irmãos não é perfeito. Gosto deles, mas brigamos muito, além da conta. Eles não simpatizam muito com meu marido, estão sempre discutindo por qualquer motivo.

Adoro minha família, principalmente meus pais. Eles me ajudaram quando mais precisei, e me ajudam muito até hoje. Serei eternamente grata. Não existe nada melhor que nossa família. Todos devem dar o devido valor. Digo isso por experiência pessoal. Já errei tantas e tantas vezes, mas pelo exemplo deles tenho certeza que não vou mais “quebrar a cara”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário