quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Escolhas importantes


Escolhas importantes
por Brenner de Oliveira Oliveira

“Eu me tornei o que sou hoje aos 17 anos de idade, quando tive que fazer uma importante escolha”, afirma Erivaldo de Oliveira, 55 anos. Quando era criança, Erivaldo alimentava o sonho de ser jogador de futebol profissional. Em busca desse sonho, aos 17 anos de idade, numa demonstração de força e determinação, Valdo deixou a casa de seus pais em Maceió – Alagoas para morar com seu irmão no Rio de Janeiro.

No Morro do Livramento, onde o irmão de Valdo morava, ele se deparou com uma realidade totalmente diferente do que imaginara. “O povão que vive no norte só quer saber em se mudar para uma das grandes capitais do Brasil, com a ilusão de encontrar melhores condições de vida e maiores oportunidades de emprego”, lembra ele. “Ninguém se preocupa em terminar os estudos e freqüentar uma universidade, e eu não fui diferente.”Erivaldo foi com a cara e com a coragem, e hoje se sente satisfeito com os resultados.

Tendo que ajudar nas despesas da casa, Valdo arrumou um emprego como office-boy de uma casa de artigos de pesca. O emprego rendeu a ele um bom dinheiro e ele pôde alugar uma casa em Vilar dos Telles. Sair da casa do irmão foi um grande alívio para ele.

“Mesmo com todas as dificuldades, eu nunca abandonei meu sonho, sempre que podia eu estava jogando aquela ‘pelada’ com a galera”, conta ele. E o rapaz, realmente, tinha talento. Um dia, foi convidado por um olheiro a jogar no time do CSN e depois no Bonsucesso. Entretanto, este sonho foi interrompido. O contrato acabou e ele teve que enfrentar a dura realidade. “Depois do emprego de office-boy, trabalhei fazendo registro de armas e munições até conhecer uma gringa que tinha oito confecções espalhadas pelo Leblon, Ipanema e Copacabana." Meu pai se tornou gerente de uma dessas confecções.

Acasos da vida
Em um dos acasos da vida, Erivaldo conheceu seu Clodover, o irmão do Técnico Telê Santana. Ele tinha uma rede de lojas de ração em todo o Rio de Janeiro. Seu Clodover, ciente dos problemas de Valdo, chamou-o parar trabalhar. Foi nesse acaso que ele se apaixonou pelo ramo.

“Hoje em dia, só jogo futebol por lazer, dedico o meu tempo na minha própria pet shop." Foi graças a esse negócio que papai conseguiu comprar a casa em que moramos, mais alguns bens. Ele é muito feliz vendendo vacinas para animais, gaiolas para pássaros, ração para cachorros e muito mais. Graças a essa loja, pode manter a nossa família - além de mim, tem mamãe e minha irmã Pádua.

Papai tem um lema: “Nunca deixar a peteca cair.” Foi assim que superou todas as barreiras que surgiram ao longo de sua vida. “Tenho certeza que conseguirei derrubar as que ainda estão por vir”, conta todo orgulhoso Erivaldo de Oliveira, uma exemplo de determinação.

Um comentário:

  1. Adorei a história ! É muito inspiradora principalmente para nós jovens , que estamos começando a enfrentar problemas e tendo que fazer nossas própias escolhas . O Brenner também escreveu muito bem , parabéns !

    ResponderExcluir