quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Fecha-se uma porta, mas se abre uma janela

Desde pequeno, Carlos André Aguiar aprendeu com os avós que trabalhar é o reconhecimento do homem

por Giuseppe Alexandrino

Carlos André teve seu primeiro emprego aos 11 anos, ajudando o avô em sua loja de recuperação de panelas. Ficou ali até os 14 anos, quando foi trabalhar em uma lanchonete. O serviço militar o obrigou a uma nova mudança profissional, ainda que o seu grande sonho fosse ingressar na Marinha. "Ser marinheiro era meu maior sonho, mas por falta de informação não consegui servir", conta.

Quando foi dispensado, ele foi trabalhar como auxiliar de montador em uma firma de divisórias depois de uma breve passagem por um supermercado. Com muito esforço e perseverança, Carlos André ganhou seguidas promoções até se tornar gerente operacional.

Mesmo não realizando o seu sonho de juventude, Carlos André alcançou êxito profissional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário