quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Orgulho de fazer cinema
Por Leandro Silva

A oficina de cinema já começou na Escola Municipal Menino de Deus, no bairro da Prata. Eles já estão na terceira aula. A idéia do governo municipal é implementar o audiovisual na rotina dessas escolas.

O projeto inicial previa apenas duas escolas, mas o sucesso da iniciativa obrigou os produtores a implantá-lo em oito escolas. Essa não foi a única mudança ocorrida em função do sucesso do projeto. "Inicialmente, os alunos iam apenas discutir idéias de filme, que seriam produzidos pelos professores", explica a assistente da oficina Marina Rosa, 18 anos, que estuda na Escola Livre de Cinema. "Agora, eles vão participar de todas as etapas da produção."

Na próxima etapa, uma equipe técnica dará suporte aos meninos e meninas de cada escola. O primeiro curta a ser produzido na Prata está na sinopse. Essa sinopse conta a história de um jovem negro e pobre, que tenta conquistar uma menina branca e de classe média mandando-lhe chocolates diariamente. Para vencer as barreiras sociais e chamar a atenção de sua amada, ele resolve se tornar cineasta.

A sinopse foi baseada na história de Maiara Alves de Oliveira Fidélis, uma menina de 14 anos que está na sétime série, mora na rua Jaú, gosta das aulas de educação fisica e se irrita com as cantadas. "Já fiz teatro e esses projetos estão me ajudando muito", diz ela, que se orgulha de fazer aulas de cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário