quarta-feira, 2 de abril de 2008

Flores para a Cerâmica

Jantar na Cerâmica encerra o Fórum Mundial de Educação
Por Flávia Sá e William Faria da Costa
Fotos: Felipe Rodrigo


Dois anos depois da chacina, a Cerâmica voltou a ser invadida por um bando de forasteiros. Dessa vez, no entanto, eles ofereceram flores no lugar das balas que provocaram uma tsunami de mortes na noite de 31 de março de 2005. “Estamos aqui para celebrar a vida”, disse o prefeito Lindberg Farias, um dos participantes do jantar que agitou a última noite de sábado na Travessa Br3.
O jantar, que na prática foi a solenidade de encerramento do Fórum Mundial de Educação, começou a movimentar a Travessa Br3 desde o início do dia. Produzido pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, o evento foi marcante para a comunidade antes mesma da chegada dos cerca de 500 convidados. “Foi lindo quando as mesas e cadeiras chegaram”, disse Sílvia Regina Andrade, uma das produtoras do evento. “Elas as carregavam cantando a música infantil Trabalha, formiguinha.”

A solenidade teve início às sete e meia da noite, com a exibição de um documentário produzido pela ong Reperiferia a partir da relação de algumas moradoras da travessa com seus álbuns de fotografia. Apresentaram-se em seguida diversos artistas de Nova Iguaçu, como os poetas do Desmaio Público, os malabaristas do MACA, atores do Nós da Baixada e funkeiros que agitam a noite da Baixada. Também marcaram presença os grafiteiros do BXD Crew, que deram uma nova vida às paredes das casas com seus sprays .

Os cinco pratos servidos foram escolhidos, cozinhados e servidos pelos próprios moradores. “Gente pobre come bem”, disse Cristina aos explicar o cardápio, formado de pratos substanciosos como angu à baiana, costela com batata, galinha velha e feijão nordestino. A qualidade do jantar pode ser medida pelos três pratos comidos pelo prefeito Lindberg Farias, que ficou na solenidade até o fim. A primeira dama Maria Antônia Goulart também prestigiou o evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário