quarta-feira, 20 de maio de 2009

Travessia segura

Agente do Venina cria gincana do trânsito
por Fernanda Bastos da Silva e Larissa Leotério


O trânsito é o espaço de relação social mais intensa e diversificada da atualidade. Todos os dias, praticamente todos os cidadãos utilizam diversos meios de transporte para circular e compartilhar a cidade. Neste meio tempo, saber respeitar os direitos dos outros é também exercer os próprios. Podemos dizer que o trânsito é um espaço onde exercemos cidadania. Em função de tudo isso, a educação para o trânsito é fundamental para a constituição de cidadãos conscientes e diminuir os acidentes e desrespeitos.

Os profissionais que cuidam para que as pessoas sigam as leis do trânsito são os agentes de trânsito, muitas vezes denominados “guardas municipais”. Há também a Polícia Militar especializada em trânsito e, nas rodovias federais, a Polícia Rodoviária Federal. As regras que existem para tornar o trânsito algo seguro e prazeroso devem começar a ser ensinadas nas escolas. É aí que entram diversos atores, como professores, pais e os agentes de trânsito. Isso mesmo! Os mesmos profissionais que atuam nas ruas também têm seu espaço na escola.

É o caso de Alexandre Gonçalves Decottigneis, 31 anos e que há dois, depois de fazer um concurso, tornou-se guarda municipal de Nova Iguaçu. Morador de Jacarepaguá, ele faz parte do projeto ‘Educação no Trânsito’ do programa Bairro Escola, atuando na E. M. Prof.ª Venina Torres. Após desenvolver sua própria metodologia de ensino, ele criou o “agente de trânsito por um dia”. Para isso, foi confeccionada uma carteirinha de “condutor-aluno”. “É com base nessa carteirinha que avalio o comportamento das crianças”, conta Decottigneis. “Quem cometer infrações de disciplina na escola, independentemente de ser nas oficinas de trânsito, perde ponto.”

Decottigneis conquistou a turma logo na primeira oficina, quando chegou com um vídeo, de sua própria autoria, para ensinar a interpretação dos sinais e o modo de atravessar a rua. O movimento de sedução se consolidou no segundo dia de trabalho com as crianças, quando mostrou a importância do trânsito para o meio ambiente. “Quem joga lixo pela janela do carro cria muitos problemas para a natureza”, ensinou ele, que, mais do que um agente de trânsito, se considera um educador.

O agente de trânsito da Venina fez o concurso porque procurava um emprego onde trabalhasse de segunda a sexta, com um horário não muito puxado. Mas ele tem plena consciência do desafio que é conduzir as crianças da escola até os parceiros. “Os alunos são muito ativos e atravessar a rua com eles exige muito cuidado”, conta Decottigneis, para quem mais importante que atravessá-los é ensinar-lhes a atravessar. “Eles são 'bichinhos' imprevisíveis”, brinca.

Além de garantir a segurança dos alunos, o guarda municipal tenta passar noções básicas de trânsito para que as crianças criem consciência, utilizem-nas no dia-a-dia e levem esses conhecimentos para os pais, irmãos e quem mais conviver com eles: “Eles sempre levam para casa o que aprendem, acabam 'ensinando' os pais, e certamente têm mais chances de se tornarem motoristas responsáveis no futuro”, comemora Decottigneis, para quem é mais fácil educar a mente de uma criança do que mudar atos de um adulto.



Interatividade:
Mande uma foto das crianças sendo conduzidas por um dos agentes de trânsito do Bairro-Escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário