segunda-feira, 21 de julho de 2008

Reflexão e suor

Jovens do Graal se confraternizam na Vila Olímpica

Por Lucas Lima

No dia 12 deste mês, os grupos reflexivos do GRAAL se encontraram para uma confraternização esportiva na Vila Olímpica, Centro de Nova Iguaçu. Participaram do evento jovens participantes do programa, facilitadores, coordenadores e intervisores, que conversavam e se conheciam enquanto praticavam esporte. Os grupos de Cabuçu, Vila de Cava, Centro, Tinguá, Rio D’ouro, Austin, por exemplo, marcaram presença na ‘tarde esportiva’.

A ‘tarde’ começou com alongamento e aquecimento com um dos professores de Educação Física da Vila Olímpica. Em seguida, os jovens e facilitadores foram divididos em grupos e escolheram entre as seguintes atividades: futsal, vôlei, xadrez e capoeira.

O primeiro evento esportivo do GRAAL teve como finalidade reunir os jovens que participam do programa e promover uma maior interação entre eles. Esta necessidade foi percebida pelos facilitadores, já que os jovens queriam se conhecer.

A opção pelo esporte, embora fuja da proposta reflexiva do GRAAL, foi proposta pelos jovens. “Eles sempre pedem trabalhos diferentes. De vez em quando, o esporte é um apelo dos próprios jovens, eles trazem isso como demanda pra gente”, declarou Alessandra Rodrigues, 23 anos, facilitadora do programa.
Enquanto a maioria dos jovens corria e suava jogando fustsal ou vôlei, um grupo estava sentado jogando xadrez, atividade ainda não vista como esporte. Além de incluir aqueles que não queriam participar das atividades físicas, o xadrez permitiu que os jovens trocassem experiências.

Por dentro do GRAAL

O Graal trabalha com grupos reflexivos formado por jovens que buscam diminuir os índices de violência em Nova Iguaçu, e cria agentes propagadores da paz. O projeto foi criado pela SEMUVV, Secretaria de Valorização da Vida e Prevenção da Violência. Esses grupos, que podem ter de 10 a 20 integrantes, se reúnem semanalmente durante 2 horas por um período de seis meses. Nesses encontros, os integrantes discutem temas como cidade, religião, sexualidade, relações familiares, violência urbana e etc. É o próprio grupo quem escolhe a pauta do dia.

Pessoas de ambos os sexos, com idade entre 13 e 29 anos, podem participar dessas reuniões. Além dos grupos dedicados à juventude, há grupos de familiares de vítimas de violência, policiais civis e militares.

Os grupos são coordenados por uma dupla de facilitadores, um profissional e um estagiário, ambos cursando e/ou atuando na área de psicologia, pedagogia, ciências sociais e serviços sociais. Uma das funções dos facilitadores é propor atividades que estimulem a interação-vivência em torno dos temas durantes as reuniões.


No 24º e último encontro do grupo, os participantes recebem um certificado de participação no programa “Agente da Paz”, que poderá ser acrescentado ao seu currículo pessoal e profissional. Os grupos ocupam escolas municipais, igrejas e paróquias, centros comunitários, organizações não-governamentais, associações de moradores, etc.

Além do certificado de “Agente da Paz”, a pessoa que participa do GRAAL consegue amadurecer sua identidade, sua auto-estima e suas relações interpessoais. “Eu já participo do GRAAL há seis meses. É bom porque discutimos temas interessantes e escolhidos por nós", disse Margarida Ferreira, 19 anos. "Além disso, o grupo me ajudou a conhecer coisas que não sabia antes. Também me ajudou a amadurecer como pessoa, os temas induzem isso. Eu conheci o programa através dos facilitadores e nem sabia o que era. Acabei me surpreendendo. Achei muito interessante e continuei porque gostei."

Nenhum comentário:

Postar um comentário