terça-feira, 8 de julho de 2008

Festa para os mártires

Por: Aline Marques
Fotos: Retiradas da internet

São Pedro chamava-se Simão ou Simeão. Nascido em um pequeno vilarejo pagão na Galiléia, tornou-se pescador na cidade de Carfanaum.

O povo vê São Pedro como "o porteiro do céu", o manda-chuva e o padroeiro dos pescadores. A presença dele na tradição portuguesa e brasileira é constante.

São Paulo tinha o nome de Saul ou Saulo, um fiel evangelizador. Nasceu na cidade de Tarsus, na Cilícia, Ásia Menor (hoje Turquia).

São Pedro e São Paulo são irmanados pelo martírio.

Outras comunidades
Há muitos anos, se comemora o dia dos santos Pedro e Paulo nos dias 27 e 29 de junho. Em Nova Iguaçu, a festa dos dois padroeiros começou no 21 de junho, no bairro do Jardim Iguaçu, onde a prefeitura fechou a rua professor Heleno Cláudio Fragoso.

A abertura da festa foi com a famosa Cristoteca, que contou com a presença de Djs e membros da igreja. "A festa foi maravilhosa", diz Luana Souza, 20 anos. "Vieram muitos jovens de outras comunidades, que não conheciam essa festa." A jovem nunca viu a Paróquia de São Pedro e São Paulo tão cheia.

Nos dias 27, 28 e 29, a festa também contou com a presença da banda Identidade Juvenil e Exôdos, entre outras. A banda Identidade Juvenil não deixou ninguém parado. "Nunca vi uma banda jovem tão animada e tão competente", diz Amanda Fernandes. "Ao mesmo tempo, eles conseguem passar uma paz e uma alegria tão grande, é tão intenso."

Estaria rico
Como a festa invade a rua, é uma ótima oportunidade para os comerciantes de Jardim Iguaçu. Eles armam barraquinhas de milho verde, cachorro quente, pipoca, caip-fruta e outras delícias nas imediações da paróquia.

"Eu ganho um bom dinheiro nos três dias de festa", diz Moacyr Araújo, um comerciante do bairro de 56 anos. "Se tivesse essas festas toda semana, eu estaria rico", brinca.

Ansiedade
As pessoas aguardam a festa com ansiedade. Esse é o caso de Maria Eduarda, mãe de Anna Júlia, uma menina excepcional de três anos. "Eu fico superalegre, pois a minha filha tem problemas mentais e fica muito difícil sair com ela para os outros lugares", conta essa moradora de Jardim Iguaçu.

A festa de Jardim Iguaçu é uma das raras oportunidades de que elas têm para se divertir sem enfrentar a dificuldade de subir no ônibus e atravessar as calçadas com a cadeira de rodas de que a filha precisa. "Fico muito animada porque conheço o jeitinho dela e sei que isso é uma diversão. Posso ver nos olhinhos dela a alegria e a vontade de estar ali."

Nenhum comentário:

Postar um comentário