terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Força das águas


Esperança do Amanhã procura energia das águas para vencer primeiro carnaval
por Fernanda Bastos e Wanderson Santos

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Esperança do Amanhã surgiu a partir de uma conversa de bar na rua Seridó Lote 06 Quadra 48 em Cabuçu, em 1988. A conversa, da qual participavam a hoje presidente Edna dos Santos Santiago e sua irmã Eunice dos Santos Francisco, foi animada por um surdo, duas latas e um repique.

Vinte e um anos depois, a escola vai entrar na Avenida Marechal Floriano Peixoto com 580 componentes, divididos entre as alas das baianas, fantasias e bateria. O enredo da escola, concebido pelo carnavalesco Alexandre Santiago, 31 anos, é o Planeta Água. "Temos uma grande preocupação com o meio ambiente e com os reservatórios naturais subterrâneos de água", explica o carnavalesco.

Embora seja considerada uma escola de elite do carnaval iguaçuano, a Esperança do Amanhã jamais ganhou um desfile. "Ficamos sempre em 2º ou em 3º lugar", lamenta a presidente da escola. No entanto, Edna dos Santos tem certeza de que o Planeta Água vai quebrar a maldição que acompanha a escola. "Este ano vai ter festa em Cabuçu", garante.


O carnavalesco Alexandre Santiago, que está na escola há 14 anos, explica o enredo que a Esperança do Amanhã defenderá na Avenida Amaral Peixoto. "Haverá duas alas", explica. "A primeira, de cor dourada e adornada com detalhes de folheado, mostra a energia que vem das águas." A outra pretende traduzir emoções que produzem lágrimas, na qual haverá fantasias no formato de olhos e do arco-íris. O lado místico das águas está presente nas fantasias criadas especialmente para homenagear os deuses africanos da água.

Ligação com a comunidade
A Esperança do Amanhã tem uma forte ligação com a comunidade, que recebe gratuitamente as fantasias e trabalha intensamente no barracão da escola. O processo de escolha do samba também estreita os vínculos da escola com Cabuçu. "Primeiro eu faço a sinopse da escola e do samba", conta o carnavalesco. Depois disso, passamos para os sambistas." Com base no resumo que têm em mãos, eles fazem os sambas.


Mesmo com a alegria levada pela escola aos moradores de Cabuçu, Edna e Eunice se sentem frustradas com a dificuldade enfrentada pela Esperança do Amanhã para conseguir patrocinadores para o carnaval. "Nossa única subvenção vem da Prefeitura de Nova Iguaçu", lamenta as irmãs. "Só que esse dinheiro só chega em cima da hora, e acaba cobrindo apenas alguns custos e dívidas que foram feitas para agilizar o desfile."

A diretoria da Esperança do Amanhã que esse círculo vicioso só será interrompido no dia em que as escolas de Nova Iguaçu se articularem para atrair a atenção das televisões. "Com toda certeza, conseguiríamos muitos patrocinadores", afirma a presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário