quinta-feira, 8 de maio de 2008

Pirataria em dois lados

Um bonde de jovens repórteres foram descobrir porque a pirataria gera tanta polêmica.

Por Amanda dos Santos, Flávia Sá, Isabel Nascimento, Jeyce Cristine

Imagens - Felipe Rodrigo

Na Rua Arruda Negreiro sem número está situada a locadora I.V.L. Flávia Bianca, 22 anos, diz que seus pais montaram a locadora para obter um ganho extra sem precisar sair de casa. Na época, ela e seu irmão eram pequenos e sua mãe, de 54 anos, não podia deixá-los sozinhos para trabalhar fora. Foi assim que seus pais resolveram montar uma locadora em cima da própria casa. Dois anos depois da abertura, o casal resolveu aumentar a locadora e se mudaram para onde eles se encontram agora. Isso já faz 15 anos.

Quando são lançados, os DVDs são muito caros, chegando a custar 50 reais no mínimo. Se eles comprarem, não terão como alugar, porque, com o preço elevado, ninguém aluga. Sendo assim, perde-se dinheiro. Por isso, eles têm que esperar mais ou menos dois meses para que a fita fique mais barata.

Sabemos também da grande polêmica causada pela pirataria. Quem não se lembra do "lançamento" do DVD Tropa de Elite? O filme sequer tinha estreado e já estava nas bancas dos camelôs. Os produtores do filme tiveram grande prejuízo, sendo obrigados a fazer algumas modificações no filme antes que ele fosse para as telas de cinema.

A pirataria é uma questão a ser repensada, pois facilita o acesso da população menos favorecida à "cultura" e ao entretenimento, mas muitos são prejudicados com essa ilegalidade. O artista que produz tem custos e seu trabalho é copiado sem o mínino de qualidade. Ele não vê o retorno desse dinheiro que por direito deveria ser seu. Rejane Gama, advogada, casada, mãe de duas filhas, é totalmente contra a pirataria e acrescenta:

- É um crime de receptação. Comprando, vou alimentar a indústria do crime, o trabalho informal e gerar prejuízo aos produtores e artistas. Sou a favor de que os DVDs originais sejam mais baratos e acessíveis. Mas com certeza a pirataria não é a solução.

Ela acrescentou ainda que um amigo proprietário de locadora se viu obrigado a vender outros produtos dentro de seu estabelecimento, devido à queda no aluguel de DVDs.

Os clientes que mais freqüentam a I.V.L são os que têm cerca de 7 anos de ficha. Porém, os clientes mais novos são os que mais alugam lançamentos. A locadora tem uma vantagem: estar perto dos comércios.

- As pessoas que compram pão e leite aproveitam para alugar um DVD, garantindo a diversão do fim de semana – explica Flávia.

Para ela, o que realmente fez o movimento das vendas cair foi a “epidemia” da TV a cabo. Essa competição fez muita gente abandonar a locadora.

- Fomos obrigados a botar preço promocional para ganhar um trocadinho e tirar alguma coisa que muito mal dava para comprar ‘o pão’. No final do mês, não dava nem para comprar outros lançamentos e nem tirar algum para pagar o aluguel - conta Flávia, que, pelo fato de seus pais serem senhores de idade, já não podem trabalhar mais.

Por essas e outras que ela e seu irmão vão seguir rumos diferentes.

O outro lado da história

Por Daniela dos Santos Vieira

Entrevistei a vendedora Elaine Cristina, 22 anos. Ela acabara de contratar o serviço de “gato-net” (veiculação pirata de TV fechada).

Porque você assinou o gato-net?

Assinei o "gato-net" pelo meu filho que tem 9 anos e ama ver filmes. Sei que não é certo, mas é proveitoso para algumas pessoas.

Por que você não aluga os filmes?

Porque o dinheiro não dá para toda semana estar alugando os filmes, pois o tempo de aluguel é pouco e o "gato-net" é mais prático (afinal está dentro da minha casa).

O que mudou em sua vida?

Mudou bastante, pois passei a estar mais tempo com o meu filho. E passei a ser mais atualizada com os telejornais que tenho oportunidade de assistir no "gato-net".

Você descarta a locadora?

Não descarto, não. Sempre quando dá eu vou a uma locadora e pego alguns filmes que não tive oportunidade de ver. A locadora também é uma bela opção. Sempre vou ter a locadora como opção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário