terça-feira, 28 de outubro de 2008

Frutos da paixão














Vendedor de doces usa de simpatia, charme
e criatividade para atrair clientela

Por Letícia da Rocha
Imagens de Giselle Reis

Conhecido pelo carisma e pela forma irreverente de vender seu doces, Walace Celestino da Silva desenvolve uma nova técnica que chama a atenção dos seu clientes. Há 8 anos começou seu trabalho e hoje é o único que possui as receitas do que vende. Já propuseram até R$ 1 mil para que disponibilizasse uma delas. Seu cardápio abrange 94 itens.

Especialista em caramelados, ele começou sua história graças a uma amiga, que vendia doce de coco numa época de vacas magras. "Quando ela entrou na minha sala, propus que trabalhássemos juntos", lembra Walace. Sua proposta consistia em revender a produção da amiga, mas a resposta dela foi muito melhor do que podia imaginar. "Como ela estava cansada de vender doces, ela me deu a receita depois de me aconselhar a orar."

Walace começou no colégio Jardim Alvorada, onde a diretora permitia que ele fizesse seu trabalho dentro da escola. "Minha primeira venda foi no dia dos namorados", lembra ele. Foi um Queen, um doce de flocos coloridos que ele batizou mesmo sem saber o significado da palavra. "Foi um menino que me disse que queen significava rainha." A resposta do vendedor foi altamente convicente. "Leve um pra sua rainha, para a princesa do seu lar."

Identidade do doceLoja de doces
O trabalho de Walace já foi reconhecido pela mídia, como se pode perceber pelo recorte do jornal O Dia sempre presente no tabuleiro. Mas o reconhecimento público não é suficiente para que evite algumas decepções. "Uma vez me fizeram uma encomenda de 300 doces, mas, quando fui levar, a pessoa resolveu não pagar o combinado." Ele precisou recorrer aos parentes para continuar produzindo.

Já fizeram diversas propostas de associação a Walace, que recusou todas elas. Ele só vai aceitá-las na hora de ele realizar o grande sonho de sua vida. "Quero abrir uma loja de doces", ousa. Mas tem clareza que ainda não foi chegada sua hora. Mas ele espera com paciência. E um enorme sorriso no rosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário