segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Super exposição



Exposição de quadrinhos no Sesc de Nova Iguaçu vai até março
por Tatiana Sant’Anna, Gustavo dos Santos, Viviane Menezes, Daniella Vieira e Evio Nobre

Quem nunca imaginou ser um super-heroi ou fazer parte de uma história em quadrinhos? Quem deseja realizar este sonho, tem de dar uma chegada até o SESC de Nova Iguaçu. Nem que seja por um dia.
A exposição “Encontros em Quadrinhos” teve início em 17 de janeiro e vai até o dia 01 de março, em comemoração aos 140 anos da arte dos quadrinhos no Brasil. Está sendo apresentado um breve e dinâmico histórico sobre as HQs que fizeram o sucesso tanto no Brasil quanto no mundo.
Batman, Capitão América, Super-Homem, Mulher Maravilha e a Turma da Mônica são apenas algumas das centenas de personagens que podem ser vistos na exposição. Cada exemplar conduz o público por uma viagem imaginária. Para deixar o público ainda mais em “casa”, uma televisão exibe na telinha desenhos animados para todos os gostos. Almofadas espalhadas pelo chão ajudam os frequentadores a “viajar” no universo das HQ.

Educação pela arte
“A exposição é uma forma de educar pela arte, e não apenas um entretenimento”, diz Valdomiro Meireles, 35 anos, pesquisador e organizador da mostra, um voraz leitor de gibis desde a 4a. série. Ele cita como exemplo empresas que criam manuais de segurança no trabalho em forma de HQ’s, para facilitar o entendimento dos funcionários sobre as normas de procedimento.

Ao contrário das exposições montadas no SESC de Nova Iguaçu, que sempre chegam prontas e acabadas, Encontros com Quadrinhos foi idealizada, concebida e montada pela equipe da cidade. “É algo novo, que foi criado com muito carinho e dedicação”, diz o curador. A exposição foi baseada nas coleções do próprio Valdomiro e de Abelardo Jacinto, que tem milhares de exemplares.

A data da exposição foi escolhida para atingir um vasto publico: “Todas as faixas etárias são bem-vindas. O público vai além das escolas, que sempre estão nos prestigiando. Agora, o público é mais abrangente. Eles vêm com o intuito de conhecer mais sobre as histórias em quadrinhos.”

Cinquenta mil
Abelardo Jacinto, de 72 anos, professor de Letras, morador de Mesquita, é um exemplo a ser seguido. Possui uma coleção de mais de 50 mil gibis, que guarda com todo carinho. Coleciona “tirinhas” desde os dez anos.

O convite para participar da mostra veio de Valdomiro, que tomou conhecimento da sua coleção conversando com Sérgio Fonseca, amigo de Abelardo.

Sua primeira HQ foi um exemplar do “Tico Tico”, cujos desenhos ele gostava de olhar. Depois, passou a ler “Seleções”. Foi aí que nasceu seu interesse pela leitura.


A influência veio dos colegas, pois queria aprender a ler. O personagen que mais chamou sua atenção foi “Namor, o Príncipe Submarino”. É o seu preferido. “Fui lendo e guardando”, diz Abelardo. Hoje sua coleção tem mais de 50.000 mil exemplares, que guarda em sua casa cuidadosamente. Somente sua família é autorizada a mexer na coleção. Com restrições.

Do berço
“Quando meus filhos eram pequenos, eu colocava exemplares de HQ no berço, para que eles ficassem olhando.” A esposa reclamava do cheiro, insensível ao projeto de despertar o interesse deles pela leitura. “Valeu a pena, meus dois filhos tomaram gosto pela leitura.”

Além dos filhos, os netos tomaram gosto pela leitura. Alguns episódios desse processo de aprendizado ficaram tão marcados quanto as histórias que coleciona. “Minha neta mais velha, que na época tinha quatro anos e ainda não sabia ler, olhava os desenhos da Turma da Mônica e inventava a história.” Quando aprendeu a ler, a neta se queixou. “Poxa, vovô, você mentiu pra mim porque a história não era assim”, conta Abelardo com um largo sorriso.

As histórias em quadrinhos fazem parte da vida William da Conceição, de 25 anos, morador do Bairro da Luz, desde a 6° série. Influenciado por um colega de classe, William disse que seu personagem favorito é o Homem Aranha: “Começou pelo Homem Aranha, a primeira HQ que li.” Ele também gostava muito do Homem de Ferro, que na época era raridade: “Só quem tinha dinheiro podia comprar e como eu não tinha, ficava na ‘aba’ do meu colega, que às vezes, me emprestava. Isso quando queria”.

Para quem deseja visitar essa exposição, ela está aberta de terça a domingo, das 8h30 às 16h30, no Centro Cultural. A entrada é franca.

Programação

Criando Histórias em Quadrinhos – Oficina de criação e ilustração de histórias em quadrinhos ministrada pelo curso GRAPHITE, a partir de técnicas e modelos pré-estabelecidos. Dia 28/01- Horário: Das 9h às 12h e das 14h às 17h. Local- sala multiuso 1 – Grátis (mediante inscrição) – Vagas limitadas – classificação: 12 anos
>> Inscrições para agendamento: (21) 2797-3426

Mostra de filmes

  • Fala sério especial – homenagem aos quadrinhos
    22/01 às 10h e às 14h => “Estrada para Perdição” => 14 anos
    29/01 às 10h e às 14h => “300” => 14 anos
  • Sessão Pipoca Especial – homenagem aos quadrinhos
    24/01 às 14h => “X-men – O filme” => 12 anos
    25/01 às 14h => “Batmam Begins” => 12 anos
    31/01 às 14h => Supermam – O Retorno” => 12 anos

E mais... Exibições diárias de desenhos animados, mostra de tirinhas de jornal na área externa, espaço lúdico, troca-troca...

Nenhum comentário:

Postar um comentário