quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O carnaval vai bombar

Consumo de anabolizantes aumenta à medida que se aproxima o carnaval
por Brenner de Oliveira e Luís Vinícius

Tire a fantasia do armário! Compre sprays coloridos, serpentinas, máscaras. Está chegando o carnaval, tempos de festa, azaração e pegação. Donos de academia festejam a chegada dessa época, onde a procura pelo biótipo perfeito aumenta consideravelmente. É suando nas máquinas que os jovens tentam queimar os quilinhos extras adquiridos nas festas de final de ano.

Mas qual é a imagem que as pessoas pretendem passar no carnaval? Quem nos responde é Jaderson Sardinha, um morador de Jardim Tropical de 19 anos e há dois anos um dedicado praticante da musculação. “Seria ter um porte físico definido e uma musculatura avantajada”, afirmou.

Todos sabem que essa imagem requer uma longa preparação, mas o tempo é curto e a impaciência não permite uma espera sadia para o tão sonhado resultado. É aí que surge O Milagroso, também conhecido como anabolizante e bomba. Só ele pode realizar essa transformação num prazo tão curto.

A sociedade atual não se cansa de criar novas tecnologias para modelar o corpo tanto dos homens quanto das mulheres. No entanto, as diversas as formas oferecidas para modificar a estética natural são cada vez mais inacessíveis para as classes populares. Os anabolizantes são a única via de baixo custo e acessível. “Me oferecem desde que comecei a malhar”, conta o atleta.

O exemplo dos ex-usuários, que tiveram diversos problemas de saúde, se tornou um alerta para Jaderson. “Ouço falar que alergias surgem com o tempo e também interfere na relação sexual”, continuou ele. A consciência de Jaderson é uma execeção no mundo dos jovens, principalmente no período que antecede o carnaval.

Receitas
Jarderson ainda não se deu o trabalho de percorrer o circuito de pet shops da cidade, que, segundo seus amigos de academia, são os grandes fornecedores de anabolizantes. Mas uma conversa com a balconista é o bastante para entender o intenso trânsito de marombeiros na loja em que trabalha, no centro de Comendador Soares: “Sempre aparecem por aqui uns caras fortes, pedindo dois ou três 'remédios para cavalo'.” A balconista suspeita das receitas veterinárias, mas não tem poder de polícia para investigar a origem delas.

Os praticantes de musculação recebem vários tipos de influência. Há colegas zombeteiros, que riem do chamado 'corpo de barata', incentivando-o a aplicar o 'veneno'. Há ainda os instrutores de musculação que, ansiosos para mostrar trabalho aos patrões, tecem loas aos benefícios dos esteróides para os alunos. “Dentro das academias mesmo existe uma pressão para você usar”, revela Erick Sandiego, 18 anos, que mora no Centro de Nova Iguaçu. “Professores e amigos estão sempre te incentivando.”

Malefícios
A médica Lidiane dos Anjos, 33 anos, conhece diversos relatos de mudanças de humor, comportamento agressivo, depressão, hostilidade e surtos psicóticos e adições, ocorrendo, por vezes, um quadro semelhante à síndrome de abstinência. “Os homens estão sujeitos à redução da produção de esperma, impotência, dificuldade ou dor em urinar, calvície e crescimento irreversível das mamas”, alerta a médica. Os adolescentes correm o risco de parar de crescer e as mulheres, de engrossar a voz, ganhar pelos e ver os seios diminuídos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário