segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Salvador é aqui



















Abadás saem das micaretas e ganham as ruas

por Marina Rosa

Nem que seja só para ficar em casa, a blusa criada para ser usada no dia do show já virou parte do vestuário da juventude. Não importam a estação, a ocasião e a combinação: os abadás são vistos por toda a cidade.

O formato unissex deixa as meninas mais tentadas a remodelar a blusa, recorrendo dos apliques de lantejoulas a modelos de corte diferentes. A única preocupação dos meninos é com os abadás apertados, que valem aos desavisados a acusação de que estão usando o “abadá da irmã”.

O preço do show, na maioria das vezes, é o mais importante na hora de escolher qual será usado para desfilar por aí. Os mais caros tornam a pessoa invejada. É como um desfile de valores, de poder.

Abadá dos amigos
É inevitável andar pelo calçadão sem encontrar uma pessoa vestindo abadá como uma blusa normal. A moda pegou a um ponto tal que Lucas Oliveira, um morador de Vila de Cava de 18 anos, pede abadá a amigos das micaretas que nunca vai. “Às vezes, chego a acreditar que fui ao show, de tanto andar por aí com eles.”

A leveza do tecido e os seus decotes fazem do abadá uma espécie de uniforme de verão da juventude. "É fresquinho", resume Vitor Ribeiro, 22 anos, morador do Bairro da Luz. "No calor, é tranquilão de usar."

A nilopolitana Mariana Costa, 15 anos, tem a sua coleção de abadás, mas não gosta de usá-los na rua . "Os abadás que eu tenho não são nada bonitos ou arrumados", pondera a estudante. "Só para não ficar guardado, eu coloco em casa mesmo." Para Mariana Costa, as pessoas só usam abadá na rua quando estão com pressa. "Pra não perder tempo pensando em que roupa usar, pega um abadá."

Exibicionistas
Morador do Centro, Bill Júnior, 15 anos, tem ojeriza à moda dos abadás. "Nunca usei abadá porque gosto de coisas mais especiais do que 'micaretas' da Baixada", desdenha. Para ele, usar abadá depois do show é coisa para exibicionistas. "Só para dizer que foi à uma micareta."

No máximo, Bill Júnior se permite usar o abadá durante a micareta para a qual foi criado. "Nos dias 28 e 29 de janeiro, irei usar porque estarei no lugar onde as micaretas nasceram e vou na maior do Brasil, o Festival de Verão de Salvador!"

As micaretas não param e com isso o desfile de abadás aumenta a cada dia. É a moda criada pelo povo circulando pelas ruas.

4 comentários:

  1. ficou muito legal, tenho de concordar com a idéia do abadá ser 'fresquinho', realmente é bastante. adorei e adorei (;

    ResponderExcluir
  2. haha, olha a dona Mari aqui, rs. ficou muito maneiro, parabéns! mari tá linda na foto ^^

    ResponderExcluir
  3. Nossa, sempre vejo alguém com abadá em Nova Iguaçu. Apesar de eu não usar, gostei da matéria, abordou bem o assunto :)

    ResponderExcluir
  4. ai amor,ta mandando em,bela repostagem e realmente retrata oq esta acontecendo nos dias atuais,se eskece n,nd de micareta pra gente dia 1 de fevereiro,rsrsr

    te amul!

    By Tertu

    ResponderExcluir