sexta-feira, 28 de março de 2008

Terapeuta por um dia



Por Flávia Ferreira
imagens-Mazé Mixo
A intenção da atriz Lílian Lopes era fazer uma performance cômica, mostrando que o professor é tão carente quanto qualquer ser humano. Mas principalmente os normalistas acreditavam piamente na psicanalista que interpretou, em um divã instalado no pátio do SESC de Nova Iguaçu no Seminário de abertura do FME. "A vontade que as pessoas têm de falar é tão grande que elas nem prestaram atenção no meu jaleco branco, que não tem nada a ver com um terapeuta", disse a atriz.

Também professora do ensino fundamental, Lílian adorou a experiência de ouvir o problema dos outros.

As pessoas que trabalhavam como apoio no fórum também fizeram sua “consulta”, como por exemplo Pâmela Tassio. “Senti um alivio imenso depois dessa conversa”, disse ela. Mas ela não foi a única a se sentir bem depois de conversar com a suposta psicóloga. O normalista Pedro Almeida contou que essa experiência foi interessante e esclarecedora. “Falei de minha infância, das cobranças excessivas e sobre pressão de minha família



Nenhum comentário:

Postar um comentário