quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Figueira, onde a união faz a força

Mariane Dias









Por Flávia Ferreira

No bairro da Figueira, Nova Iguaçu, trinta moradores se mobilizaram para angariar recursos que serão investidos em um campo de futebol. Esta idéia surgiu porque algumas pessoas queriam tomar o espaço para si, uma vez que o campo é uma das poucas áreas de lazer de seus moradores. Vendo isso, Edmilson Reis de Castro e seu grupo se uniram a César Valentim, o Cesinha, a fim de prover os recursos necessários para cercar o campo e fazer dele um local de lazer comunitário. "A intenção é envolver a comunidade, realizando com ela um trabalho em conjunto, onde todos colaboram" disse ele.

Trabalho Voluntário

A comunidade não fez feio, participou de todo o evento e ajudou na concretização deste sonho, seja comprando algo, ou em conjunto com os voluntários que acreditaram que seria possível este dia acontecer. Como é o caso do senhor Pedro José Novais, uma figura importante no bairro, onde expressava em seu olhar o amor que tinha pelo seu bairro. "Isso aqui é meu coração, minha terra.Nosso lazer está aqui" disse ele emocionado. Segundo Pedro o campo é tão famoso pelas redondezas que as crianças do Geneciano vão até lá para jogar. Também pudera o campo é grande o que fez com que “Seu Pedro” procurasse arrumar o campo, e construir uma pista de corrida em torno dele.
Mariane Dias
Além de Pedro, que era um dos voluntários, Josué Macedo, ex-morador de Figueira, concorda com a importância da criação de um espaço esportivo. "Figueira tem uma grande vocação para o esporte" afirma Josué. Além dele as outras pessoas iam apenas para curtir uma “onda” diferente nas tardes de domingo na Figueira.

Ao olhar para os lados era visível o grande número de pessoas presentes, algumas no perímetro do campo, outras ao seu redor,mas o mais importante era ver uma verdadeira integração entre os membros da comunidade, inclusive entre as pessoas que residiam em outros bairros. "Estou me sentindo bem, para mim este ambiente é muito familiar e divertido", disse Maria das Graças, 58, moradora de Miguel Couto.

O Bloco 18 anima a festa

Além das barraquinhas que vendiam bebidas, aperitivos, e salgadinhos dos mais variados, tivemos também o show do Bloco 18, que ajudou a arrecadar um pouco mais .. Durante as batucadas do bloco as crianças foram sempre as mais se animadas. Elas improvisaram um efeito visual jogando a areia do campo para o alto, criando uma espécie de nuvem de fumaça. Paralelo a isso um grupo de meninas da comunidade deram um show de coreografia , improvisação e beleza enquanto os voluntários”caiam no samba” no intervalo de uma para outra venda.

Mariane Dias

Graças a esse movimento comunitário que se instaurou silenciosamente em Figueira, Edmilson fez uma previsão de arrecadação. "conseguimos arrecadar cerca de quatro mil reais e isso é só o inicio" disse ele sorridente. Afirma ainda que isso só foi possível porque toda a comunidade e principalmente o Cesinha acreditaram na solidariedade dos moradores da Figueira, apostando todas as fichas para a concretização de um sonho: o campo de futebol , a grande área de lazer e ponto de encontros da comunidade.

2 comentários:

  1. Gostamos muito deste blog! Nós da equipe do Portal de Nova Iguaçu - Via Iguassu - oferecemos a vocês um espaço para publicarem suas notícias como nosso parceiro em nosso site.

    Caso se interessem nos mande uma reposta para contato@viaiguassu.com

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom , tenho varios parentes em figueira , fui fazer uma entrevista com os moradores e fui muito bem recebida , eu sou moradora de Miguel Couto ... minha vó mora em figueira a mas de 50 anos ...

    ResponderExcluir